sábado, 15 de junho de 2013

COMO O CRISTÃO DEVE POSICIONAR-SE DIANTE DE UMA SOCIEDADE MORAL E ESPIRITUALMENTE DEGRADADA?

 
 
“ Converte-nos, Senhor, a ti, e nós nos converteremos; renova os nossos dias como dantes” ( Lamentações 5:21)



A degradação  moral e espiritual da humanidade não é um mal desse século. O que estamos vivendo é um processo acelerado dessa degradação.  A geração de hoje é resultado da geração anterior, todavia, cada geração prestará contas a Deus de seus atos.

O cristão faz parte de uma outra raça, outra geração, gerada de uma semente incorruptível  “ sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas dá incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece pra sempre” ( I Pe 1:23)

A geração eleita do Senhor tem um papel  importante para  desacelerar o avanço do mal em nossa sociedade.  Qual deve ser o papel do cristão diante de uma sociedade  infestada de demônios e contaminada pelo pecado?

1-    Manter-se puro da contaminação do mundo a qualquer custo

“... A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo” ( Tiago 1:27)

Acidentalmente uma pessoa pode se queimar, mas jamais se candidata a  queimar-se  espontaneamente.  Assim deve ser o crente diante de um mundo infestado por demônios e contaminado por todo tipo e prática de pecado. Acidentalmente podemos ser alvo de um engano, uma cilada, mas somos  capazes para decidir  não  sentarmos à mesa de corruptores, para não sermos contaminados.

2-    Se, involuntariamente,  for contaminado deverá arrepender-se e  purificar-se de toda injustiça

“... Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos purificar de toda a injustiça” ( I Jo 1:9)
O arrependimento e a confissão de pecados cometidos,  é uma  resposta do coração declarando que repudiamos toda prática de pecado.  É um engano pensar  que não temos nenhuma propensão para o pecado. Outro engano é pensar que não  podemos abandonar  práticas pecaminosas. Precisamos estar vigilantes em oração para não cedermos as tentações, e como devemos nos arrepender, confessar e abandonar  os pecados que cometemos, de forma que possamos desfrutar a máxima comunhão e alegria com o Senhor.

3-    Não ser  solidário ao pecado de outras pessoas sob qualquer pretexto

“... Queixe-se cada um do seu próprio pecado” Lamentações 3:39b)
A verdadeira prática religiosa que Deus aprova  é aquela que se solidariza através de gestos de amor com aqueles que nada podem nos oferecer em troca. Tiago 1:27 dá dois exemplos: as viúvas e os órfãos desamparados.  Jamais ser solidário com práticas pecaminosas de  qualquer pessoa, mesmo sendo  pessoas que exercem liderança e autoridade sobre nós: os pais, os chefes  no trabalho, os lideres religiosos, as autoridades.

4-    Posicionar-se como  um Atalaia em defesa da Verdade

”... Quando eu disser ao perverso: Certamente, morrerás, e tu não o avisares e nada disseres para o advertir do seu mau  caminho, para lhe salvar a vida, esse perverso morrerá na sua iniquidade, mas o seu sangue da tua mão o requererei” ( Ezequiel 3:
Esse é o papel de todos nós cristãos. O pecado da omissão é tão grave quanto o pecado da transgressão. Já vimos que como cristãos deveremos ser puros da contaminação  do mundo, não sermos solidários ao pecado do outro, e por fim, sermos uma voz solitária em defesa da verdade.
Pode ocorrer que a sua voz solitária em meio a multidão não seja ouvida. Nem mesmo por pessoa de sua própria casa.  Mas Deus está dizendo que não requererá o sangue daquele que fechou os ouvidos para ouvir a sua mensagem.  Pode não ser tão confortador ver uma pessoa querida indo para o inferno, por não nos ouvir, mas a consciência de culpa não pesará  sobre nós.  

Refletindo:

Não mudaremos o destino do mundo, mas  somos  agentes de transformação que Deus usa para mudar o coração e o destino das pessoas.  Se você, como cristão, avaliou  a sua conduta em relação ao seu papel, se algo na sua vida precisa de correção, use esta reflexão como uma oportunidade. Amem!

Por amor a Cristo!