sábado, 29 de junho de 2013

O QUE PODE E O QUE NÃO PODE SER NEGOCIADO NO CASAMENTO BÍBLICO?



“ Jesus porém lhes respondeu: nem todos são aptos para receber este conceito, mas apenas aqueles a quem é dado” ( Mateus 19:11)


O Casamento não pode ser encarado como uma aventura, um teste de sorte ou por uma paixão que vale até enquanto durar.  Tudo que envolve relacionamentos deve haver espaço para negociação. Mesmo numa relação de casamento.

I - O QUE NÃO PODE SER NEGOCIADO NUMA RELAÇÃO DE CASAMENTO?

1 -   O VOTO DO CASAMENTO

“ ... de maneira alguma te deixarei nunca jamais te abandonarei”  ( Hebreus. 13:5)
O voto quando envolve Deus é algo muito sério.  Ec. 5:4 “ Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes”.  O casamento é um uma aliança que envolve votos de compromissos. O voto é um compromisso inegociável ( Hb.13:5) . É um principio bíblico que não dá brechas para  rupturas: até enquanto durar a vida.   Só a morte é autoridade para dar fim a um casamento. 

Precisamos entender a diferença de uma Aliança  e de um Contrato:

O conceito bíblico de aliança é um compromisso unilateral, irrevogável, indissolúvel, válido  até a morte de um dos cônjuges. A aliança não depende do desempenho da outra parte. É um compromisso unilateral feito com o cônjuge, na presença de Deus e de testemunhas, independente do retorno do parceiro. Uma palavra empenhada jamais revogada “ jamais ter abandonarei”.

O conceito de contrato é um acordo bilateral entre duas pessoas, a continuidade dependerá  da reciprocidade. Havendo descumprimento ou frustração é motivo de ruptura.

Deus é um Deus de aliança. Quando Jesus Cristo morreu na Cruz, pelo pecador, fê-lo de forma unilateral. Antes que o pecador se arrependesse Jesus deu Sua vida por ele. A  aliança de casamento segue o mesmo princípio – o princípio da cruz.

2-  A FIDELIDADE E A  LEALDADE 

“... É  porque Deus sabe que você tem sido infiel à sua esposa, a mulher com quem casou quando era moço,. Ela era sua companheira, mas você quebrou a promessa que fez na presença de Deus de que seria fiel a ela” ( Ml. 2:14)

Fidelidade e Lealdade são tão intrínsecas e impossíveis de separá-las. O matrimônio exige 100%  de fidelidade e  100% de lealdade.   No momento da celebração do casamento, tanto religioso quanto civil, a pergunta chave é:  Você promete ser fiel até que a morte os separe? O sim, é uma resposta de  compromisso  feita solenemente diante de Deus, das leis e das testemunhas; esse compromisso Deus cobrará.  A fidelidade e a lealdade no relacionamento conjugal são inegociáveis; caso contrário, as estatísticas de divórcios vão continuar crescendo em índices assustadores

3 – OS VALORES ESPIRITUAIS

“... Se o Senhor Deus não edificar a casa, não adianta nada trabalhar para construí-la” ( Sl. 127:1)
O princípio da edificação tem sido muito negligenciado na construção da família. Onde Deus não está a casa será mal construída, ela cairá. O casamento cristão é fundamentado em valores espirituais. Esses valores estão acima dos valores das leis humanas e das regras religiosas. São valores inegociáveis, do contrário,  é entendido biblicamente como negar princípios importantes da fé  cristã: o amor e o perdão.  A maioria dos divórcios acontecem por coisas banais.  O amor e o perdão, resolveriam estas questões. Quando  negociamos os valores de Deus, abrimos brechas para o fracasso do casamento e da família. Se necessário, sejamos mártires em defesa dos valores espirituais em favor de nossas famílias.

II - O QUE PODE SER NEGOCIADO NUMA RELAÇÃO DE CASAMENTO?

1-  OS PAPÉIS DE CADA UM,  NO DIA A  DIA,  DA FAMILIA     

O que fazer, como fazer, quem fazer,  são objetos de entendimento do casal.  As habilidades individuais  devem ter um peso nos papéis.  O compartilhamento, companheirismo e o trabalho solidário cabem em todos os relacionamentos, principalmente  no casamento. Deus deu tanto ao homem quanto a mulher habilidades específicas. O homem possui mais vigor físico, entendendo que determinadas tarefas devem ser executadas por ele; enquanto a mulher é dotada de uma sensibilidade incomum,  para entender sentimentos e emoções dos filhos.

2-   COMO ADMINISTRAR  AS FINANÇAS DO CASAL
Quando as finanças não são bem administradas, causam discussões, conflitos conjugais e até separações. Nem todos tem habilidades para administrar finanças na família.  O casal deve trabalhar juntos esta questão.  Aquele que estiver melhor  qualificado para essa tarefa deve assumir o controle. Fazer um planejamento financeiro, orçamento doméstico, como investir, são dicas importantes que devem ser trabalhadas no casamento.

3 – AS QUESTÕES FAMILIARES
Quando os jovens se casam dá início a um novo núcleo familiar.  Os vínculos familiares são preservados, mais o casal deve tomar o seu próprio destino.  O “deixar” pai e mãe é pra valer. O casamento não é  uma ruptura nos  relacionamentos familiares, mas  deve  ser entendido como uma ruptura nas áreas  emocional, física, financeira e espiritual,  dos pais  na vida dos filhos.
Entretanto,  haverá  questões que precisam ser negociadas. Como por exemplo,  apoiar os pais na velhice ou quando estiverem em dificuldades financeiras.  

Reflexão:
Se você é casado e foi tocado em alguma área,  converse abertamente  com o seu cônjuge e reorganize  a vida como casal. Busque direção de Deus e ajuda de casais piedosos que estão prontos a ajudá-los.  Se você é solteiro e está se preparando para ao casamento considere estas questões. Não negocie o inegociável. Seja aberto e sensível para as questões práticas da vida. Amem!

Por amor a Cristo!