domingo, 14 de abril de 2013

CINCO “ Ps” DE UM PAI EM BUSCA DE EXCELÊNCIA


 
  


“... Eu vou  pelo caminho de toda a terra; esforça-te, pois, e sê homem” ( 1 Reis 2:2)




Quantos de nós, pais, olhamos nos olhos de um filho,  e dizemos:   “ esforça-te, e sê homem? ”.  Como pai confesso que não é tarefa fácil falar de nosso papel de pais.    Faço com tremor e temor na tentativa de ajudar os novos e futuros papais.  Hoje depois dos três filhos casados e avô, muitas coisas tornam-se mais evidentes e claras que anos atrás. Não posso voltar no tempo, mais posso contribuir com minhas experiências e observações.  Aprendi que a verdadeira sabedoria não está em  tirar lições de nossos próprios erros  mas aprender com os erros e acertos  dos outros.

Sempre é bom ressaltar que Deus criou o homem de uma forma muito singular, feito a sua  imagem e semelhança.  Delegou ao homem muitas funções importantes, a paternidade, é uma delas. As estatísticas tem apontado que esta função vem apresentando  uma acelerada  decadência nos últimos anos.  O século vinte e um   aponta  uma crise paternal sem precedente.  A legalização de união de pessoas do mesmo sexo, é um caminho que a humanidade está escolhendo para dizimar a paternidade da forma como Deus criou.

Refletindo sobre esta questão, vamos considerar cinco “ Ps” que qualificam um homem na sua missão  de pai:

  “P “  -  PATERNIDADE

 “... Quanto a mim, eis que o meu concerto contigo é, e serás o pai de uma multidão de nações” 
 (Gn. 17:4)
A paternidade é uma missão que deve ser exercida com extrema responsabilidade. Tomando como exemplo o pai Abraão, que recebeu uma promessa de ser pai de multidão de nações.  No entanto,  gerou Ismael de uma relação irresponsável  com uma  escrava, teve como consequências o surgimento de muitas nações que se tornaram inimigas da  descendência do filho da promessa Isaque.

O exemplo de Abraão não é um fato isolado.  A paternidade nos dias atuais vem perdendo o seu verdadeiro papel, de gerar filhos abençoados com identidade e destino.  Filhos que tenham uma identidade familiar estruturada que cumpra um destino traçado por Deus.  Com  isso,  a sociedade deixa de colher resultados para colher consequências, pagando  uma conta muito alta pelo aumento da delinquência e da desestrutura familiar.

Gerar um filho não deve ser um ato inconsequênte de um momento de prazer sexual. Deve ser um projeto de vida familiar, planejado e avaliado  todos os custos e responsabilidades.

 “ P “  -  PROVER

“... Prepara fora a tua obra, e apronta-a no campo, e então edifica a tua casa”

 ( Pv. 24:27)
Segundo o dicionário, Prover é:  “ Tomar providências acerca de; abastecer-se”, etc. . Uma função inerente do Homem. A mulher, no papel de esposa e mãe,  participa nesse processo; sobre ela, recaem  funções específicas de maternidade e de esposa.

O sentido de “prover” não é apenas o material. O pai tem a responsabilidade de incutir valores, moral, social, física, psicológica e espiritual, nos filhos.  A mãe, por ter o extinto de maternidade absolve com mais facilidades essas responsabilidades. O pai precisa aprender a passar   esse legado aos filhos.

3º “ P “  -   PROTEGER

  Quando o valente guarda, armado, a sua casa, em segurança está tudo quanto tem”    ( Lucas 11:21)
A figura do valente é uma boa ilustração no papel de pai.  Deus fez o homem forte e corajoso, não só para lidar com atividades pesadas, mas para defender a sua casa e os seus bens.  Nenhum bem é mais importante que a própria família.

O pai deve ser o protetor do coração dos  filhos. Uma filha adolescente é uma presa fácil a ser desejada de rapazes predadores e desqualificados. Um filho na adolescência deve ser protegido das seduções mundanas e de decisões imaturas.  Proteger não é um ato de exercer autoridade autoritária,  mas sim, dar escolhas com consequências.

4º - “ P “  PROMOVER

“ Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade”  ( Sal. 127:4)

Já vimos que o pai é o valente da família. O salmo 127.4, está indicando  uma outra  função inerente ao pai:  de um caçador que ensina o  filho ser um caçador.  Em outras palavras, promover o filho a ser um provedor. Provedor de sua futura família.

O pai é o principal motivador e investidor na vida do filho. Quantos pais estão sobrecarregados financeiramente, porque continuam carregando a responsabilidade de arcar com os filhos, já casados. Entendemos que há situações que podem acontecer, são exceções, não regras. Numa empresa familiar, as responsabilidades e direitos são proporcionais as funções  que cada membro exerce.

  “ P “ -  PACIFICAR

“... E amava Isaque a Esaú, porque a caça era de seu gosto; mas Rebeca amava a Jacó”  ( Gn. 25:28 )
Pacificar é combater todo tipo de ações que enaltecem qualidade de um e diminui a do  outro. Pacificar não é tolerar falhas  nem ser tolerante com o pecado. Corrigir quando preciso, promover a paz e dar oportunidades para novos começos.   

O exemplo de Isaque foi desastroso. Ao preferir um dos filhos, abriu brechas no relacionamento familiar, causando conflitos irreparáveis.  Adão, outro exemplo:  pai ausente  no dia a dia de seus filhos,  Caím e Abel.  O que dizer de  Davi?  Não tomou postura de pai, no episódio em que um dos filhos praticou um ato sexual com a própria irmã. São exemplos de pais, que tiveram uma história manchada de sangue,  assassinatos entre irmãos, abusos, traições.  Não foram  pais sábios não  exerceram as  bem aventuranças de  pacificadores em suas famílias.

Refletindo:

Como pais, sempre temos um novo recomeço.  Pela graça  de Deus os  meus erros de pai,  não tiveram repercussões sérias na vida de nossos filhos. Mas confesso que  poderia ter sido melhor, se cada um desses  “ Ps” fossem melhores aplicados .  

Você Pai!  Qual dos “ Ps” você sente que tem  sido negligente?  Onde você precisa melhorar?  Busque ajuda, tenha um novo recomeço. Faça parte de homens que  buscam a excelência no papel de pai. Amem!

 

Por amor a Cristo