sábado, 1 de junho de 2013

SINDROMES EMOCIONAIS QUE CONTRIBUEM PARA UM BAIXO NIVEL DE CONTENTAMENTO




“... Na tua presença, Senhor, estão os meus desejos todos, e a minha ansiedade não te é oculta” ( Sl. 38:9)



O dicionário define a palavra contentamento,  como: Satisfação; alegria; prazer.     O apóstolo Paulo ( Filipenses  4:11)   define com sua própria experiência de vida, contentamento como: a capacidade de manter alegria, satisfação e prazer em qualquer circunstância da vida.

As “Sídromes  Emocionais”  contribuem para o baixo nível de contentamento. Podemos ser portadores dessas síndromes, como podemos estar contaminados  ao  lidarmos com pessoas que são portadoras dessas e outras síndromes  emocionais.

ALGUMAS DAS     SINDROMES EMOCIONAIS “  QUE SÃO EPIDÊMICAS E QUE CONTRIBUIEM A UM BAIXO  NIVEL  DE CONTENTAMENTO DE VIDA PESSOAL:

1-        SINDROME DA INFERIORIDADE                        Ex. Moisés  ( Ex. 3,4)
“... Então, disse Moises ao Senhor: Ah! Senhor! Eu nunca Fui eloquente, nem outrora, nem depois que falaste a teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua...” ( Ex. 4.10)... Já em  missão: Ex. 05:22  “ Então, Moisés  tornando-se ao Senhor, disse: Ó Senhor, por que afligiste este povo: Por que me enviaste?...”   O sentimento de inferioridade é avassalador.  A inferioridade é um sentimento  que coloca a pessoa abaixo da média.  A missão torna-se  um peso, tudo é difícil, uma brecha para a murmuração todas as vezes que as dificuldades se apresentam.

2-        SÍNDROME  DO   PEQUENÊS            Ex. Gideão   ( Juízes 6:14- 15).
“...  Vai nessa tua força e livra Israel da mão dos Medianias; porventura não te enviei eu?  E ele lhe disse: Ai, Senhor meu! Com que livrarei Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manasses, e eu, o menor na casa de meu pai”.  A mentalidade do  pequenês   tem trajetória curta.  A  visão é limitada, não vai além de uma tarefa.  Pra ter certeza  que é ele que deve realizar  pede pra Deus  várias provas. Volta ao seu estado original de comodismo.  Esta  “síndrome  do  pequenês” tem acometido muitos homens e mulheres em nossas igrejas.  Vivem um nível de contentamento muito  abaixo da média, não experimentam o melhor de Deus para as suas vidas.

3-       “ SINDROME  DO CORAÇÃO FERIDO                    Ex. José  (Gn. 42:7-10).

... Vendo José a seus irmãos, reconheceu-os, porém não se deu  a conhecer, e lhes falou asperamente...” (. v.7).
O coração de José estava ferido. Ao deparar com os seus irmãos reviveu na mente toda aquela cena do passado. Uma mistura de ódio, um gostinho de vingança, de dar o troco; ao mesmo tempo,  um sensação de alivio, meus irmãos vivem;  o meu sonho era verdadeiro, meus irmãos  estão curvando-se diante de mim.

Até mesmo Davi encontrava-se com o coração ferido. Sl. 109:22 “ Porque estou aflito e necessitado e, dentro de mim, sinto ferido o coração”. As igrejas estão repletas de irmãos que vivem a
“ síndrome do coração ferido”. Estão encarceradas emocionalmente, vivem abaixo da média.  Não perdoam a si mesmos, não perdoam os ofensores e nem recebem perdão dos ofensores. Estão salvos e não curados ( Tiago 5:16).

 O perdão é o exercício mais completo da misericórdia, um dos fruto do Espírito.  Com o perdão liberamos misericórdia as pessoas, Deus libera sua benção sobre nós, e a pessoa perdoada nos retribui com gratidão. Não perdoar e usar justiça própria, obra da carne e não fruto do Espírito. ( Ex. Jo, quando orava pelos seus três amigos - ( 42:10).

4-         SÍNDROME  DO FAZER ANSIOSO       Ex. Marta. ( Lucas 10:38-42) 

“...  Marta agitava-se de um do para outro, ocupada de muitos serviços...”  ( Lc. 10: 40).
O Senhor não condenou a atitude serviçal de Marta, mas o modo como servia. Ela ocupava-se em fazer muitas coisas, algumas desnecessárias,  em prejuízo de se ocupar em coisas  relevantes.   Uma maneira em servir para  agradar as pessoas  para sentir-se amada e valorizada. Isso trás muita  ansiedade, o grande mal do século. As estatísticas comprovam que 80% do que fazemos alcançamos  apenas 20% de resultados;  os 20% restantes, representam 80% dos resultados.
 O “ fazer ansioso”, tem causado enfermidades emocionais e físicas, graves.  A ansiedade é como um  ladrão  destrói o oxigênio, corta o nosso fôlego e nos asfixia.  Rouba nossas forças,  tira a visão e  a perspectiva do futuro. Um mal que atinge a todos, pobres e ricos, doutores e analfabetos, homens e mulheres, adultos e crianças. A pressão da vida moderna, a falta de comunicação no lar, o isolamento das pessoas e a ausência da comunhão com Deus abrem a porta para a ansiedade. Reduz  o potencial e influencia na qualidade de vida. Resultado? Um baixo nível de contentamento pessoal.

5-       SÍNDROME DO MEDO

“... Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” ( II Tem. 1:7).
O medo tem sido uma arma poderosa de  Satanás para intimidar o crente. Os pais, inadvertidamente, fazem isso com os filhos pequenos. Incutem um tipo de medo para não fazer algo errado. Crentes imaturos são intimidados, por Satanás,  em muitas áreas da vida. Alguns exemplos: Se você expuser demais vai perder a sua reputação, será rejeitado; você já fracassou,  na área tal, não tente novamente que fracassará.  Os homens em especial lidam muito com isso. Em se tratando de pecado oculto, não confessado, é uma prisão emocional que impede desenvolver com ousadia o seu potencial. Vivem abaixo da média porque estão vivendo a síndrome do medo.

Refletindo:
Você se identificou com algumas dessas síndromes?  Faça a sua própria  auto- avaliação e se há algo que precisa do tratamento do Senhor, coloque isso diante de Deus.  O reconhecimento de uma fraqueza e a confissão a Deus  são caminhos para a cura. Amem!

Por amor a Cristo!