domingo, 15 de setembro de 2013

A LÍNGUA UM PEQUENO MEMBRO COM GRANDE PODER DE ABENÇOAR E AMALDIÇOAR


 
  .... A língua é um pequeno membro e  gloria-se  de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia”
( Tiago 3:5)
 
Temos que concordar com a expressão popular que o  apresentador "Chacrinha"  sempre dizia:  “quem não se comunica se estrumbica”.  Mas também é fato quem não se comunica adequadamente também se estrumbica.  Uma boa   comunicação  não é apenas expressar as palavras certas no tempo certo, mas  sobretudo não dizer aquilo que não deve ser dito. Tiago compara o dano que a língua pode causar com um fogo devastador.
Vamos recorrer ao livro da sabedoria, provérbios,  destacando  quatro tipos de línguas, ou maneiras como utilizamos nossa linguagem ao comunicar uma mensagem:

1-    A LÍNGUA CONTROLADA
“ ... o que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios tem perturbação” ( Pv. 13:3)
Os que se enquadram nesse padrão são pessoas que pensam antes de falar. Sabem que as vezes o silêncio é a melhor resposta, quando necessário dão suas  opiniões e  fazem com sabedoria.
Quem não tem domínio próprio, que é um dos “ fruto do Espírito”, não é capaz de escolher o que diz. As vezes, o que diz pouco se aproveita.

2-    A LINGUA CUIDADOSA
“...  O homem se alegra na resposta da sua boca, e a palavra, a seu tempo,
quão boa é!”  ( Pv.15:23)
A língua cuidadosa prima em dizer a verdade  de uma forma que expresse encorajamento. Não deixa de ser verdadeiro ao falar, transmite uma mensagem de otimismo. Uma atitude sábia em  distinguir o típico do relacional.  Ou seja, focar nos  erros sem atingir a identidade da pessoa.

A forma de transmitir uma mensagem é  tão importante quanto o que será dito.  As vezes é preciso de grande coragem, habilidade e diplomacia para confrontar o pecado de  uma pessoa. O profeta Natã ao confrontar Davi do seu pecado com Bate - seba  usou a coragem,  habilidade e diplomacia. Um bom exemplo para ser seguido.


3-    A LÍNGUA ENGANADORA

“... Como o carvão é para o borralho, e a lenha, para o fogo, assim é o homem contencioso para acender rixas”  ( Pv. 26.21)
Os que se enquadram nesse padrão  são pessoas que estão cheias de motivações erradas, visam as fofocas, à calúnia e sentem um prazer enorme em distorcer a verdade para prejudicar alguém.

As palavras infundadas e odiosas são prejudiciais porque espalham rapidamente e ninguém pode deter os resultados após serem proferidas. É tão devastador quanto o fogo numa floresta.

Certa ocasião o Senhor Jesus foi surpreendido com uma multidão que conduzia uma mulher que havia caído em adultério. Questionaram a  Jesus o que deveria fazer com aquela mulher. Jesus simplesmente não respondeu a pergunta,  apenas abaixou-se e começou a escrever na areia. O silêncio de Jesus foi a melhor  resposta para aqueles que estavam cheios motivações erradas e sentiam prazer em condenar os outros e não olhar para seus próprios pecados.

4-    A LÍNGUA DESCUIDADA
“... com ela bendizemos a Deus Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus” ( Tiago 3:9)
A língua descuidada não mede as palavras. Esse padrão conduz a prática de proferir mentiras, maldições, acusações que podem levar à rebelião e à destruição.

Muitos pais, inadvertidamente, praticam esse padrão na maneira como se comunicam com os filhos. Ao mesmo tempo que abençoa o filho, também lança palavras de maldições, tipo:  “ Você não vai ser alguém na vida”, “ você é um preguiçoso”, “ você é igualzinho a ....”.  Os filhos para não receberem palavras de reprovações muitas vezes usam a mentira  ou partem para rebeldia.

Muitos cristãos fazem isso com Deus também. As vezes usam palavras corretas e agradáveis a Deus, em outros momentos usam a boca para murmurar e blasfemam ao lançar palavras destrutivas contra um irmão.

REFLETINDO:
“... Se alguém entre vós cuida ser religioso e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã ” ( Tiago 1:26 )
Quais destes  padrões da fala refletiu a sua verdadeira identidade? Fomos criados a imagem e semelhança de Deus, mas a língua nos dá um verdadeiro retrato de nossa natureza pecaminosa.
O Espírito Santo nos dará poder para monitorar e controlar aquilo que dizemos. Nenhum crente pode dizer que não recebeu a ajuda do Espírito Santo nesta área. Deus não terá o culpado por inocente.

Por amor a Cristo!