domingo, 20 de outubro de 2013

TEMPO PROPÍCIO PARA UMA BUSCA DE RENOVAÇÃO ESPIRITUAL E UMA REFORMA NA MANEIRA DE SER IGREJA DE JESUS

 
 
“... Deixando, pois todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações” ( I Pedro 2:1)
 
 
Deus está levantando pastores e  líderes espirituais comprometidos com um avivamento que viva a prática do Evangelho das bem-aventuranças ensinadas pelo Senhor Jesus.  Um repensar a maneira de ser igreja de Jesus sem perder a sua essência.
 O pastor Edson Queiroz, pastor da primeira igreja batista em Santo André, é um destes eminentes lideres. Sua contribuição de 40 dias de jejum e oração por uma reforma na igreja está vindo em  tempo propício.
 Propício porque vivemos um momento em que as estruturas familiares, o conceito de ética, os padrões morais estão sendo destruídos e substituídos por valores demoníacos. E a igreja está sendo contaminada por esses valores mundanos.
 Este é o momento de todo líder, comprometido com a pureza da igreja, tomar posição, ir para o jejum e a oração. Tempo propício para cada cristão dar a sua contribuição com o seu testemunho e influencia pessoal.
 O passado é uma parte importante das ações de hoje e planos futuros. Os legados deixados por  reformista da história bíblica do passado podem nos inspirar com suas  vidas e ações.  Como por exemplo, o rei  Ezequias, o rei Josias, o escrivão Esdras e o copeiro Neemias.  Que lições podem tirar desses homens reformistas?
 
1º-  A reforma começa na vida  do próprio  líder 
“... e antes dele não houve rei semelhante, que se convertesse ao Senhor com todo o seu coração, e com toda a sua alma, e com todas as suas forças, conforme toda a Lei de Moisés; e, depois dele, nunca se levantou outro tal” ( 2 Rs 23:25; 2 Rs 18:5,6).
A historia registra que os  reformistas Ezequias e o seu bisneto Josias,   foram   os reis de Judá elogiados por Deus pela conduta moral e espiritual que viviam. Mantinham um relacionamento íntimo com Deus,  desenvolveram uma vida de oração e obediência. 
O líder cristão  que deseja ser um reformista  precisa andar  em obediência e submeter-se  aos padrões mais elevados da fé cristã. Reconhece os seus erros e submete-se imediatamente  a correção de Deus. Não compactua e nem minimiza o pecado em sua vida e nem das pessoas que lideram.
Os eminentes reformistas, Esdras e Neemias, foram homens irrepreensíveis e intocáveis quanto a conduta moral.  O compromisso que tinham com os valores eternos era inegociável:  “ Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a Lei do Senhor, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e  os seus direitos” ( Esdras 7.10).
A reforma que a igreja precisa,  necessariamente  deve  começar pela vida do pastor que cuida do rebanho do Senhor.  Esse homem ungido de Deus precisa repensar a sua vida de intimidade com Deus. A única maneira de reproduzir modelo de caráter é  vivendo na sua própria vida. “ E fez o que era reto aos olhos do Senhor, conforme tudo quanto fizera Davi, seu pai” ( 2 Cr 29:2).
 
 2- A reforma  tem sucesso quando o  líder espiritual   assume para si  a responsabilidade na condução do   processo de purificação de sua equipe e rebanho.
“... Ezequias,  no ano primeiro do seu reinado, no mês primeiro, abriu as portas da Casa do Senhor e as reparou. E trouxe os sacerdotes e os levitas, e os ajuntou na praça oriental, e lhes disse: Ouvi-me, ó Levitas! Santificai-vos, agora, e santificai a Casa do Senhor, Deus de vossos pais, e tirai do santuário a imundícia” ( 2 Cr 29:3-5)
 “ E orando  Esdras assim, e fazendo esta confissão, e chorando, e prostrando-se diante da Casa de Deus, ajuntou-se  ele de Israel uma mui grande congregação de homens e mulheres e de crianças, porque o povo chorava com grande choro” ( Esdras 10:1).
Os dois textos marcam posição firme, corajosa e ousada de seus lideres.. Não temeram perder seus postos, não temeram  os inimigos de fora nem os de dentro.  A purificação é a parte mais importante do processo. Só acontecerá renovação espiritual, quando o pecado for tratado com rigor e  não de forma leviana. Não colocar a culpa no passado, nem  no líder que passou, ou minimizar o mal que foi feito.  Temos que nos preparar para  as decisões mais difíceis, a exemplo desses corajosos reformistas do passado.
3-  A reforma é bem sucedida quando  o líder espiritual  prioriza a sua verdadeira função -  Palavra e Oração, e delega a homens e mulheres fiéis e íntegros para a tarefa administrativas e sociais.
“ Escolhei, pois, irmãos, dentre vos, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de Sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio” ( Atos 6:3)
A primeira igreja cristã já experimentou uma pequena reforma. Os apóstolos tomaram atitudes corretas quanto as suas prioridades. O ministério da Palavra e da oração nunca deve ser negligenciado por causa dos fardos administrativos.
As qualificações mais importantes para qualquer tipo de serviço cristão é estar cheio de fé e do poder do Espírito Santo.  Só acontece com muita oração e muita meditação. A Palavra de Deus é viva e eficaz, sempre nova e atual para atender as demandas dos tempos atuais.  Não tem nada mais atual que os ensinos de Jesus
“ as bem aventuranças”  para os cristãos de hoje. 
Se os crentes em suas igrejas tomarem posições em viver   a prática das  "bem aventuranças" os pastores não precisarão ocupar-se com tarefas administrativas. Serão realizadas por homens e mulheres qualificados para a prática e boas obras. Essa é a reforma que a igreja precisa.

Refletindo:
Em todos os empreendimentos que visam melhoria para o Corpo de Cristo, defesa do Evangelho e da sã doutrina, vamos encontrar ferrenhas oposições.  O desânimo e o medo são outros dois grandes  obstáculos que se opõem a uma reforma e ao avivamento.  Os reformadores da Igreja de Jesus  tomem para si esta palavra de Paulo ao pastor Timóteo: “ E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições” ( 2 Tm. 2:12).

Por amor a Cristo!