domingo, 10 de novembro de 2013

A VIDA CRISTÃ NÃO É UMA CAMINHADA SOLITÁRIA MAS SOLIDÁRIA


 
 
 
“... Um ao outro ajudou e ao seu companheiro disse:
Esforça-te” ( Isaías 41:6)
 
A  solidariedade funciona em todos os níveis sociais e crenças. Mas na vida cristã a solidariedade  é  um quesito indispensável.  Impossível o crente desenvolver sua fé solitariamente.
 Quando o crente, por algum motivo, isola-se do convívio dos seus irmãos, perderá o melhor de Deus para a sua vida comprometendo-se o seu desenvolvimento espiritual. A vida cristã  é bela e envolvente quando morremos para nós mesmos e compartilhamos à vida com outras pessoas. 
Vamos considerar algumas das muitas vantagens de uma vida cristã solidária:
1ª-  O trabalho  começado por um é consolidado pelo outro.
“... e o artífice animou o ourives, e o que alisa com o martelo, ao que bate na safra, dizendo da coisa soldada: Boa é.  Então pregos o afirma, pra que não venha a mover-se” ( Isaías 41:7)
Um produto industrializado, por exemplo, passa por uma cadeia  de processamento.  O processo é longo e envolve muitas pessoas e muitos recursos  operacionais, até chegar à nossa mesa.  Pense na sua própria vida! Você é capaz de computar os custos e quantas pessoas se envolveram na sua  vida?
São exemplos que mostram que tudo na vida são sucessivos atos solidários que nos tornam úteis e habilitados para exercer solidariedade. Você se vê como  um desses que recebeu muito, de muitos, e agora solidariamente retribui a outros?
2ª- O trabalho solidário nos torna comprometidos com o próximo
“... Conhecemos a caridade nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos” ( I João 3:16)
O comprometimento é a forma mais contundente de dizer que amamos o nosso próximo.  Só o amor nos constrange a viver uma vida solidária. O amor verdadeiro consiste em praticar boas obras, o alvo, é o próximo. O amor vai além dos sentimentos. É  uma decisão  que fazemos para compartilhar a vida com o outro.   O Espírito  nos capacita e nos habilita a exercer esse amor verdadeiro, que nos torna semelhantes com Jesus Cristo.
3ª-  O compartilhar a vida  deve ser uma das  motivações do cristão e da Igreja
“...  E perseveraram na doutrina dos Apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” ( Atos 2:42).
Perseverar na doutrina dos  Apóstolo é  a principal tarefa da igreja. Contudo,  sem solidariedade essa tarefa torna-se ineficaz. A vida cristã  é empolgante e  prazerosa quando  vivida no contexto da igreja, que se torna  uma grande família.
 Infelizmente, não são poucos os crentes que são abençoados financeiramente e em suas carreiras profissionais, por conta disso, afastam-se do convívio dos irmãos e deixam de ser solidários em suprir as necessidades daqueles que são salvos e precisam de ajuda.
A família cristã  funciona como exemplo para o mundo quando os seus membros vivem em unidade e  trabalham solidariamente.
4ª- A solidariedade contribui para unidade e crescimento da Igreja
“... Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à Igreja aqueles que se haviam de salvar” ( Atos 2:47)
O modelo de Igreja “ em célula” ou “ grupos pequenos”,  é o modelo que tem  apresentado melhor performance  de crescimento e oportunidades de comunhão entre os crentes. Temos vivenciado esse modelo em nossa igreja, em transição para uma igreja  “em célula e discipulado “.   Temos constatado muitas vantagens, destacaremos algumas delas:  multiplicação de liderança, melhor cuidado do rebanho, melhor atenção aos visitantes,  mais qualidade na preparação dos novos crentes. Uma igreja mais solidaria e que busca ser uma igreja: Apaixonada por Deus e apaixonada por pessoas. 
 Reflexão:
“... Portanto, sempre que pudermos, devemos fazer o bem a  todos, especialmente aos que fazem parte da nosso família na fé” ( Gálatas 6:10)
Cada um de nós tem algo a oferecer ao nosso próximo.  Que essa reflexão encoraje você a repensar a maneira como tem levado a vida cristã.  Se está boa pode melhorar ainda mais.  Amem!
 
Por amor a Cristo!