sexta-feira, 14 de março de 2014

O CRENTE DEVE VIVER AÇÕES COERENTES COM A FÉ QUE PROFESSA.




“... Tenham cuidado de não praticar suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles.  Se fizerem isso. Vocês não  terão nenhuma recompensa do Pai celestial” ( Mt. 6.1)


Esta palavra bíblica é para todos nós cristãos independente de onde estamos servindo a Deus. Coerência  de  nossas ações com a fé cristã que professamos . O cristão deve ser cuidadoso tanto no que fala quanto no que faz. Pode  acontecer uma ligação entre as duas coisas, mas pode não  estar conectado com a verdadeira fé cristã.

Vamos entender esta conexão avaliando nossas ações com os quesitos que Paulo está nos instruindo em I Tm  6: 11, que diz: “ Mas tu oh homem de Deus, foge destas coisas e segue a justiça, a piedade, a fé, a caridade, a paciência, a mansidão”.  Para você que é um homem de Deus, uma mulher de Deus, pense na sequencia desses valores que o texto bíblico nos aponta:

1-      Ações coerentes em praticar justiça
“... segue a justiça....”
A justiça é um dos atributos do caráter de Deus. Deus usa o seu poder de acordo com sua própria perfeição moral. As nossas ações devem seguir esse padrão. Não querer fazer justiça própria  mas alinhar-se a soberana vontade de Deus. 

Quando almejamos ocupar um cargo público ou de liderança em qualquer esfera da vida, com propósito de  fazer justiça,  estaremos caindo na armadilha  de querer fazer justiça com nossas próprias mãos.  Deus não precisa desse tipo de mãozinha prodigiosa. O próprio Senhor Jesus é nosso maior exemplo, não realizava nenhuma obra, de justiça,  pela sua própria vontade pessoal, apenas fazia o que o Pai estava fazendo.  Todo ato de  justiça cuja motivação e intenção é abusiva, manipuladora e que  busca recompensa pessoal , não segue a  justiça de Deus.   Isso é incoerência com a fé que crê!

2-    Ações coerentes com a prática de cuidar dos seus

“... Mas, se alguma viúva tiver filhos ou netos, aprendam primeiro a exercer a piedade para com sua própria família e a recompensar seus pais; porque isto é bom e agradável diante de Deus”
( I Tm. 5:4)
Esta é uma palavra bíblica que muitos não gostariam de ouvir. A coerência no viver familiar é seguramente um grande desafio para a família moderna.  Os resultados são desastrosos. Pais que abandonam seus filhos quando crianças. Filhos que abandonam   seus pais na velhice.  Esse mal tem atingido as famílias cristãs. Para vergonha nossa e do Evangelho. Quando o Evangelho não  funciona na prática nos lares cristãos, nos casamentos, nos relacionamentos pais e filhos, que argumentos teremos para falar  do amor de Deus e do perdão, a casais que estão em vias de separação e de pais que estão em pé de guerra com os seus filhos? Uma incoerência de viver a fé que crê!

3-    Ações coerentes com a prática da caridade

“... Se alguém diz: “ Eu amo a Deus”, mas odeia o seu irmão, é mentiroso.  Pois ninguém pode amar a Deus, a quem não vê, se não amar o seu irmão, a quem vê”  ( I Jo 4:20)
A falta de amor é um das incoerências mais aguda da prática da fé cristã. O amor é o mais importante de todos os dons espirituais. É impossível qualquer outro dom espiritual sobressair em nossa vida faltando o dom do amor. O amor avaliza todas as demais ações e sacrifícios que fazemos para Deus. Qualquer outro padrão, o texto bíblico está afirmando que é falso, é mentiroso. É uma incoerência de viver a fé que crê!

4-    Ações coerentes em viver com paciência e mansidão
Paciência e mansidão andam juntas na vida do crente. Quem é paciente é manso, quem é manso é paciente. O apóstolo Paulo exorta o crente a ser pacientes.
 
 “ ... admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustentai os fracos e sejais pacientes para com todos”.  E exorta aos pastores e lideres a ser  mansos:  Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se, porventura, Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade” ( 2 Tm 2:25).

Muitos crentes estão combalidos, enfermos,  abandonados pelos caminhos da vida, por falta de amor, paciência e mansidão de seus pastores, lideres e de irmãos.    Precisamos ser sinceros em reconhecer que  não  temos sido verdadeiramente coerentes com esta recomendação bíblica. Até mesmo,  nós pais, não temos sido pacientes e mansos com nossos filhos, muitos tem buscado refúgio no mundo. Uma incoerência com a fé,  que cremos!

Refletindo:
Esta palavra é para abençoar a sua vida. Se o Espírito Santo de Deus  mostrar algo em sua vida que está incoerente com a sua fé, não recuse a correção. Busque ajuda e viva uma vida coerente com aquilo que você crê! Amem!

Por amor a Cristo!