sábado, 12 de abril de 2014

A FROUXIDÃO MORAL E ESPIRITUAL A PRINCIPAL CAUSA DO ENFRAQUECIMENTO DA ESTRUTURA FAMILIAR CRISTÃ

                         








"...Entretanto, cada um continue  vivendo na condição que o Senhor lhe designou e de acordo com chamado de Deus. Esta é a minha ordem para todas as igrejas "
( I Cor. 7:17 ) 
 
A comunidade  evangélica vem sofrendo grandes abalos na sua estrutura familiar. A frouxidão moral e espiritual  tem sido a principal causa. A Igreja cristã em Corinto enfrentava sérios problemas de divisão, desordem nas celebrações e sem disciplina para corrigir os abusos e os pecados sexuais.

Se  essa carta  fosse dirigida a muitas de nossas igrejas cristãs de hoje, certamente a igreja de Corinto não ficaria sozinha na estatística. O Espírito Santo vem  incomodando o povo de Deus para uma profunda reflexão, quanto a frouxidão moral e espiritual, que vem  solapando a estrutura familiar, por consequência  da própria igreja.

As práticas ilícitas sexuais, os divórcios em níveis assustadores , são indicadores incontestáveis  de uma frouxidão na disciplina, tanto no seio familiar quanto na igreja.  A formação moral  e espiritual deixou de ser fundamental na construção do caráter das  crianças.   A família cristã,  vem conformando o padrão bíblico ao do mundo, em relação ao casamento. A virgindade perdeu o seu valor. O namoro cristão tornou-se tão vulgar quanto o namoro do mundo.

O Apóstolo Paulo teve que enfrentar o mundanismo dentro da igreja de Corinto.  No cap. 7, de I Coríntios, faz uma série de instruções  como vencer as tentações sexuais e acerca do casamento cristão.

Vamos destacar algumas dessas instruções, que no nosso entendimento  não perderam a sua validade para os dias de hoje:

1ª - “ Cada homem tenha sua própria mulher, e cada mulher tenha o seu próprio marido  ” ( v.2)

Esse é o projeto original de Deus. Deus criou Adão e da sua costela criou a sua mulher.  Eva uma mulher idônea e suficiente para completar Adão em todos os sentidos, inclusive sexual. Esse é o padrão moral e espiritual estabelecido por Deus tanto para o homem como para a mulher. A mulher não foi criada para ser um objeto de prazer sexual.

2ª -  “ O homem  deve  cumprir o seu dever de marido, e a mulher também deve cumprir o seu dever como esposa” (v.3)
Este é um mandamento para os casados. Fora do contexto do casamento  toda prática sexual é pecado. Para os casados pecado  de adultério, para o solteiros pecado de fornicação.

 O marido  e a esposa estão desautorizados a negar-se  um ao outro, sexualmente. 
“ Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mutuo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e, depois, ajuntai-vos outra vez, para que Satanás vos não tente pela vossa incontinência”  (v.4).

3ª - “Aos solteiros, eu digo que seria melhor ficarem sem casar” (v.8.a)
Paulo omite a sua opinião própria. Por ser um apaixonado pela obra missionária, sua preocupação com as dificuldades que uma pessoa  casada  enfrenta no campo missionário. Faz também uma chamada a responsabilidade  quanto o compromisso do casamento.  Coloca a família no mesmo grau de importância de uma vocação missionária. Ao  jovem que decidir casar, terá que ocupar-se nas coisas materiais para agradar à mulher (v.33). Nada de errado tomar a decisão de casar-se. A desestruturação familiar, o despreparo e  a imaturidade de muitos jovens vem elevando as estatísticas do divórcio.

4ª - “ Um homem  cristão casado com uma mulher que não é cristã, e ela concorda em continuar vivendo com ele, que ele não se divorcie dela. E, se uma mulher  cristã é casada com um homem que não é cristão, e ele concorda em continuar vivendo com ela, que ela não se divorcie dele” (v.12) .

Uma pessoa casada, seja homem ou mulher, pelo fato de  se converter à Cristo, não terá  motivo  para  divorciar-se do seu cônjuge. O casamento bíblico é até que a “morte os separe”.  É um compromisso pela vida inteira.

Os motivos para separação são extremamente abusivos, como proibição da fé, práticas de prostituição e abandono. Ao divorciado, não se vê  nenhuma referência bíblica dando  abertura  para o segundo casamento.

O  casamento ideal e bíblico  deve ser entre jovens comprometidos com Deus e que  vivam o mesmo compromisso de fé cristã. Quando os pais cristãos estão em concordância com o casamento  a bênção de Deus virá  em  abundância. Um casamento não abençoado abre porta para maldição do divórcio. Como também, pais cristãos divorciados, sem uma causa plenamente justificável, abre porta para o divórcio dos filhos, através do exemplo.

5ª - “ Mas cada um tem de Deus  o seu próprio dom, um de uma maneira, e outro de outra” (v.7-b).
Paulo está defendendo aqueles que decidiram não se casar, com propósito de servir mais livremente a Deus.  Casando-se ou não se casando é um dom de Deus. Um solteiro não é moralmente e espiritualmente melhor que o casado, nem o casado melhor que o solteiro. O dom dado a cada um é valioso desde quando realize o propósito de Deus na terra.

 Paulo desejou que mais pessoas fossem como ele, desimpedido, para dedicarem completamente a obra do ministério da palavra.  O que tiramos de lições aqui? Seja,  casado ou solteiro, a vida só será valiosa se o dom que Deus  tem dado,  a cada um de nós,   estiver a serviço do  Seu Reino . A família comprometida com Deus  tem um papel  relevante, no envio e na  manutenção financeira da obra missionária no mundo.

Refletindo:
Releia todo o capítulo 7 de I Coríntios. Peça  ajuda, ao  Espírito Santo , para trazer clareza em pontos que não foram claros para você. Nossa intenção não é trazer confusão ou discussão tolas. É um chamado a reflexão sobre esse tema: “A frouxidão moral e espiritual  tem sido a principal causa para o enfraquecimento da estrutura familiar”. O que você pensa sobre isso? Exerça com autoridade e liberdade o dom que Deus lhe deu. Amem!
Por amor a Cristo!