domingo, 20 de abril de 2014

TOMANDO POSIÇÃO EM SITUAÇÕES DE CRISES


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“ Porém em nada considero a minha vida preciosa para mim mesmo,  contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus  para testemunhar o evangelho da graça de Deus"  ( Atos 20:24)

Cada cristão brasileiro,  comprometido com a causa do Evangelho de Jesus Cristo, tem o dever de orar pela nação, pelos governantes,  e, a luz da Palavra de Deus, confrontar o pecado , encorajar os desanimados e os que perderam a esperança 

O ano  de 2014 está sendo um ano diferenciado  para nossa Nação.  Dois eventos relevantes vão acontecer: a copa do mundo e as eleições. Multidões serão atraídas por conta desses dois megas eventos. Já podemos prever o que resultarão desses eventos: tristezas para uns e alegria para outros; derrota para uns e vitórias para outros; só um vencedor, no esporte e só um vencedor, na política.

Você pode pensar, isso faz parte do jogo. O que isso tem a ver com crise?  Aí está a questão! Muitos não conseguem ver o que acontecem por trás dos bastidores.  Muitos não conseguem ver as manobras, a corrupção financeira, moral e ética;  as ideologias camufladas, com propostas de  planos de governo, mas são  planos para defender práticas de desvios moral e cultural,  que afrontam a Palavra de Deus. Valores inegociáveis que estão sendo negociados, por práticas que Deus já condenou no passado: com o dilúvio, no tempo de Noé, e com fogo e enxofre, para  as cidades de Sodoma e Gomorra.

Em tempo de crise  as pessoas estão em busca de uma voz que transmita esperança.
Esta voz, não  virá de partidos políticos, nem das arquibancadas dos estádios. Virá da Igreja do Senhor Jesus Cristo, através de pastores e lideres,  que não estejam comprometidos   com siglas partidárias, mas comprometidos  com a causa do Evangelho, com uma mensagem de fé e de esperança.
O rebanho do Senhor Jesus carece de pastores e lideres, corajosos, que alertam e defendem as ovelhas que estão sob o seus cuidados; a não serem atraídas pelos lobos, e a não se venderem, por nada.

Em tempo de crise  é o momento de definir  posição.
Definir de que lado estamos: De Deus ou do mundo?  No tempo de crise, que os soldados são mobilizados para as batalhas. É hora, de cada cristão, revestir-se da armadura de Deus ( Efésios 6:10-20).  É hora do povo de Deus buscar  unidade e viver em  santificação.  Por que os soldados de Israel, depois de uma retumbante vitória sobre Jericó, foram derrotados pelos soldados de Ai?  Por quê? ”Prevaricaram, os filhos de Israel nas coisas condenadas...”  ( Josué 7.1).  O líder Josué tomou posição, eliminou os prevaricadores,  retomaram a batalha e venceram.

Em tempo de crise  é o momento de confrontar o pecado.
A  vitória de hoje não é a garantia de que amanhã venceremos. Uma vitória não sinaliza de que tudo está bem. A tomada de Jericó foi bem sucedida, entretanto, nem todo os soldados se tornaram vencedores. Josué confronta o pecado de toda tropa (Josué 6:24-26).  A crise gera oportunidade de santificação. Uma igreja, ou mesmo uma pessoa cristã, pode estar desfrutando de crescimento, mas não é garantia de conquistas duradouras. Se houver pecado, não confessado, haverá derrota.

Em tempos de crise é o momento de rever a história de homens e mulheres que fizeram a diferença em momentos de crises . Alguns exemplos:

- Débora,  juiza e profetiza.  Ocupou o lugar de um general, covarde e medroso;  lutou pelo seu povo,  e saiu vitoriosa. Que  obra prima, o cântico de Débora, Juízes cap. 5.

- Ester, uma jovem cabocla. Vivia como uma escrava, cuidada por um primo;  ao tornar-se rainha, tomou posição em defender o seu povo. Ela entendeu a mensagem , do seu primo Mardecai, que lhe mandou o seguinte recado: “... e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha?:” ( Ester 4:14.b)

- Apóstolo Paulo, um apóstolo dos gentios, causou muitas crises, por causa do evangelho que pregava,  e venceu  muitas crises,  pela fé no Deus do  evangelho que pregava. Paulo não tinha problemas com crises, para ele crise era oportunidade de testemunhar o Evangelho.

. Dois exemplos mais recentes - Dois pastores Alemães durante a segunda guerra mundial:  Bonhoeffer e Thielicke – tomaram posições, levantaram suas vozes em tempos de terríveis creises.

- Bonhoeffer – advertiu o povo alemão das consequências políticas e morais de escolher Hittler como seu líder nacional.

- Thielicke – desafiou o povo alemão a tarefa de reconstrução espiritual e moral.

Ambos fizeram o seu trabalho de forma admirável. Sacrificaram suas próprias vidas por uma causa que valeu apena.  Os frutos estão sendo colhidos. ( Extraído do livro pregação bíblica de Haddon  Robinson e Craig Larson).  São relatos que fazem parte  da história da Igreja iniciada em Atos dos Apóstolos.

Em tempo de crise é um tempo de operações de milagres.
Em tempo de crise que o Espírito Santo age com poder e unção.  Os milagres acontecem em tempos de  crises. O favor de Deus é derramado abundantemente em tempos de crises.  É no tempo de crises que pastores e lideres oram mais, jejuam mais, leem mais a bíblia, ficam mais perto de Deus.  É em tempos de crises que o povo de Deus  se santifica mais. Em tempos de crises que as vitórias são mais retumbantes.

Refletindo:
Você já vivenciou em sua vida um tempo  de crise? O  que você aprendeu com ela?  O que você pensa sobre nossa nação? Estamos  vivendo “em berço esplendido” ou  ameaçados por uma grande crise? Como cristão qual é o nosso papel?

“ Senhor, ajude-nos a tomarmos posições  firmes com a verdade; a sermos uma voz que leve esperança aos  desacreditados; e, que nos santifiquemos,  e nos consagremos,  para as batalhas do Senhor”

Por amor a Cristo!