sábado, 17 de maio de 2014

DEUS CRIOU A FAMILIA PARA RESISTIR TODOS OS TIPOS DE VENTOS CONTRÁRIOS!


E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha... ” ( Mateus 7:25,27)


O mês de maio, num passado não muito distante tinha um significado especial: comemorava-se o mês da família e o mês das noivas. A 38 anos atrás, nos casamos no mês de maio exatamente por ser um  mês especial da família. Tudo está mudando até mesmo os valores familiares. 

Somos apaixonadamente defensores da família, nos padrões de Deus. Por não  nos conformamos com a tentativa de desmanche da estrutura familiar, que pensamos neste tema para refletirmos juntos: Deus criou a família  para resistir todos os tipos de ventos contrários!
 
Em toda a história da humanidade, não dá para visualizar uma única geração que enchesse os olhos de Deus de prazer. A família vem sofrendo duros golpes, mas continua de pé. Deus criou a família para suportar  todo tipo de ventos contrários.
Seria injusto querer sacrificar essa geração como a geração mais  pervertida de todos os tempos.  É  bem verdade, que a iniquidade vem se multiplicando, a cada geração, mas estamos colhendo consequências de atos longínquos, lá no passado. Adão e Eva, introduziram o pecado na raça humana, a própria família de Adão sofreu duros golpes;  Noé, que começava uma nova semente da raça humana, plantou uma vinha, embebedou-se, causando vergonha e maldição para um de seus filhos e gerações futuras.  Abraão e Sara, referência de fé, pecaram gerando um filho da escrava, vindo a se tornar poderoso na terra e inimigo dos herdeiros da promessa.  O sacerdote, Eli, designado para abençoar o povo, não corrigia os filhos da idolatria e do pecado sexual, provocou a ira de Deus, num só dia, perdeu a sua vida, de dois filhos e de sua nora; a nação toda sofreu com esse desastroso comportamento. O que dizer de Davi? O que dizer  de nossos antepassados de sangue? O que dizer de nós mesmos?

Exemplos não faltam, vamos refletir nos atos e consequências de  Abraão e Sara, nossa referência de fé. ( relato está em Gênesis 16 ).

 1 -  O ato  que praticaram foi por falta de fé não acreditando nas promessas de Deus?
“ E disse Sarai a Abrão: eis que o Senhor tem me  impedido de gerar; entra, pois, à minha serva; porventura terei . e ouviu Abraão a voz de Sara” ( Gn. 16:2)
Não cremos que faltou fé no casal,  pois Já havia  passado por grandes provas que requeria uma sólida fé em Deus.  Deus havia dado a Abraão uma grande vitória libertando Ló das mãos de poderosos inimigos. Abraão possuía uma fé inabalável em Deus.  A Fé é um suporte importante para manter uma estrutura familiar de pé. Mais outros fatores podem concorrer com  a fé.
2- A falta de paciência  pode  motivar uma inquietação e não  esperar o momento certo de Deus?
Cremos que sim. O ser humano é por natureza impaciente. As circunstâncias que envolviam Sara  colaboravam para isso. A cada dia que se passava a impaciência ia tomando conta do coração de Sara. Ela sabia que não tinha muito tempo a perder. Podemos imaginar que  Sara recebia visitas de amigas,  batiam aqueles papos conversavam sobre tudo, cada uma contava suas histórias de vida.  Bem provável que uma dessas amigas também sofria com a esterilidade. Socorreu  a sua escrava para ter um filho. Essa prática funcionava naquela cultura. Em conversa com o Abraão ela comentou sobre isso e sugeriu que ele tivesse o filho com a escrava Agar. 

A impaciência gera ansiedade, que por sua vez cria situações precipitadas  que vão de encontro com a agenda de Deus. Quantas vezes passamos à frente de Deus, provocando situações  que abreviam as suas promessas? Quantos casamentos precipitados? Quantos filhos gerados precipitadamente? Quantos negócios que tinham tudo para dar certo e não deram? A impaciência gera precipitações que podem desabar uma estrutura familiar. Outros fatores podem concorrer com a impaciência.

3-  O engano do coração pode motivar a indução ao pecado?
Certamente que sim. Ser uma pessoa de fé não é a garantia  que esteja com o coração totalmente livre de engano. Não podemos atribuir tudo de errado que nos  acontece, atribuindo cem por cento,  à Satanás.  Sem dúvida, Satanás é o enganador de nossas almas. Mas a Bíblia diz sobre o coração, o seguinte: “ Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” ( Jr.17:9). É fácil cair na rotina, do dia a dia, esquecer de vigiar e abandonar os princípios e as promessas de Deus.  Sempre haverá algum “amigo” para trazer uma solução para nossos problemas que ainda não foram resolvidos por Deus.  

Abraão, Sara e Agar,  viviam uma rotina diária tranquila. Tudo parecia estar muito bem, não havia nada aparente que os ameaçasse. Engano! Havia sim: três corações enganosos e perversos. Como assim? Cada um teve sua parcela de engano?

Sara – enganou-se ao pensar que poderia resolver o problema por si mesmo, dando  de mão beijada o seu marido a uma escrava. Sara, só entendeu o engano do coração, depois do estrago feito no seu coração e casamento.

Abraão – enganou-se, ao concordar com sua mulher. Esqueceu-se que a responsabilidade era exclusivamente, dele. Não pensou na fragilidade emocional de sua mulher. Enganou-se, ao achar que Deus faria vistas grossas no seu pecado, por ser um amigo confidente. Quantos homens de Deus, homens de fé, tem sucumbido nessa área. Não tem a conivência explícita da mulher, a exemplo de Sara,  por outro lado,  a esposa não dá a devida honra ao marido,  e o marido, à esposa

Agar – enganou-se,  por achar que poderia ser um grande negócio para ela, dividir o marido com sua dama. Na sua imaginação o seu filho seria o herdeiro, de tudo. Imaginou que deixaria de ser uma escrava. Não foi o que aconteceu:  Agar, teve que sair de casa, e o seu filho Ismael, não foi o herdeiro da promessa.  Quantas “Agar”, continuam  destruído casamentos e famílias. O Brasil inteiro chocou-se de um crime acontecido recentemente no estado do Rio Grande do Sul: uma “Agar” entrou na vida de uma família e houve destruição e morte.   Há muitas “Agar”, eletrônicas, online, destruindo casamentos e famílias. 

A família de Abrão e Sara, a partir desse engano não viveu a mesma harmonia, dando lugar a discórdia, acusações. Choro, separação e consequências irreparáveis que atingiram as gerações futuras. Quantas famílias estão sofrendo as consequências do engano? Quantos lares se desmoronando, a casa caindo?

Refletindo:
Siga refletindo sobre o assunto. Tire você mesmo as suas conclusões. Apesar de todas as adversidades, de tuda oposição que a família vem sofrendo em toda sua trajetória geracional, ela prevalecerá. Deus criou a família para ficar de pé

Faça parte do time que acredita no modelo familiar original, estabelecido por Deus. Se sua vida e família precisam de reparos, busque ajuda e lute! Não permita que a falta de fé, a impaciência e o engano, venham fazer mais uma vítima – uma casa vindo a baixo.

Por amor a Cristo!