sábado, 13 de setembro de 2014

SANTIDADE ABSOLUTA: CONDIÇÃO PARA ATRAIR A GLÓRIA DE DEUS!



 
“...A Lei mais importante do templo, é esta: Santidade absoluta!  “ Ezequiel 43.12.a)
 



O tema  não é proposital para assustar você, mas requer uma reflexão cuidadosa.  “ Santidade absoluta: condição para atrair a Glória de Deus!”.  A glória de Deus no passado, era a manifestação visível da Sua presença no meio do seu povo. Cada vez que o povo de Israel se distanciava de Deus a Sua glória não se manifestava. Ao invés da glória, manifestava-se a Ira de Deus.
A visão que Deus dá ao profeta Ezequiel, nos caps. 43 e 44, seria  uma planta da reconstrução do templo de Jerusalém. Ao  descrever, em detalhes , deixou claro que assim  como a construção deveria ser feita com requinte de perfeição, o ritual religioso deveria ser com o mesmo requinte de perfeição. Estabeleceu como prioridade:  “...A Lei mais importante do templo, é esta: Santidade absoluta!  “ Ezequiel 43.12.a).

1.  A GLÓRIA DE DEUS   E  A LEI DE MOISÉS ( A.T.)
A Lei fundamental do templo de Jerusalém era a Santidade.  Deus é santo, e tudo o que faz trás a sua marca da santidade.  Não  existe nenhum  vestígio na história que manche a santidade de Deus.
A santidade é o  padrão único  para todos  os que temem a Deus, independente dos que viveram sob a Lei de Moisés e os que  vivem sob Lei da Graça.    Esta foi a instrução que Deus deu a Moisés:
“ Diga o seguinte a toda a comunidade de Israel; sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo” ( Lev 19:2). A mesma ordem é repetida no Novo  Testamento: “ Porquanto escrito está: sede santos, porque eu sou santo “ I Pe. 1:6). Ser santo é ser separado para Deus para uma missão. O povo de Israel, como nação, tinha uma missão divina a cumprir na terra. A santidade era a condição; a glória de Deus era a manifestação de sua concordância que o povo  estava no caminho certo.

2.  A GLÓRIA DE DEUS E  O EVANGELHO  DA GRAÇA  ( N.T.)
“.... Vocês foram ensinados .... a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade...” Ef. 4:22,24)
Santidade absoluta pode ser uma utopia para o crente carnal, mas deve ser uma obsessão para o crente que quer crescimento espiritual e comprometimento pela Causa do Evangelho de Jesus Cristo.  Como cristãos damos muitas glórias a Deus! Precisamos dar é um reconhecimento de que tudo vem de Deus e para a sua glória. Entretanto, refletir se esse “glória a Deus” está ratificando  a um padrão de santidade que levamos, ou apenas um hábito religioso que adquirimos.
A igreja primitiva experimentou a manifestação da glória de Deus em todos os atos que praticavam.  Quatro ações que a Igreja praticava e a Glória de Deus  se manifestava, em cada ato: 1) Perseveravam na doutrina dos apóstolos; 2) na comunhão; 3) no partir do pão; 4)  e nas orações ( Atos 2:42)  Quando a igreja começou a se distanciar desses quatro pilares ,a Glória de Deus começou  a  não  aparecer como antes.  O mundo passou a não ter medo da presença da igreja. A  igreja já não perturba mais as pessoas em pecado. Até os crentes canais vivem tranquilamente praticando delitos e pecados porque sabem que não são incomodados pela disciplina da igreja. É triste e vamos pagar caro por isso.

3. AGLÓRIA DE DEUS E O TESTEMUNHO PESSOAL
“... e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrpreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” ) 1 Ts. 5:23)
A glória de Deus se manifesta na vida do crente comprometido segundo os padrões de Deus. Santidade pode ser compreendida como uma vida de retidão.  É o crente vencer os obstáculos,  sejam quais forem, sem perder a linha de conduta.  
Quando o crente mantém a sua linha de retidão  a glória de Deus se manifesta a seu favor.   A favor de um casamento que está à beira do divórcio, restaurando  a união.  Se manifesta na vida do pai  e do  filho, restaurando o relacionamento.  Se manifesta na vida do empresário que permanece fiel na sua mordomia cristã,  dando a Deus o que é de Deus é ao governo  o que é dele. A glória de Deus se manifesta na forma de perdão:  na vida de um pecador que arrependido volta  à Deus;   Daquele filho pródigo que se afasta de Deus e retorna à casa do Pai.
 Andar em retidão segundo os padrões de Deus não só atrai a glória de Deus para os seus atos,  como leva o crente naturalmente dar  um forte  ‘ GLÓRIA A DEUS!”.  O crente omisso, infiel e  de péssimo testemunho, ao dar a “ Glórias a Deus”,  está  colocando Deus à prova.  Ao invés de atrair a Glória de Deus, atrairá para si,  a Sua Ira.  Ao dar Glórias a Deus, examine primeiro os seus atos.
REFLEXÃO:
“.... Ele fez isso para que o povo de Deus esteja mais bem aparelhado para fazer uma obra melhor para ele, edificando a igreja – o corpo de Cristo – e elevando-a a uma condição de vigor e maturidade...” ( Efésios 4:12)
 Deus enviou ao mundo o seu Filho, Jesus Cristo, com um padrão de santidade absoluta. Com propósito:  ensinar aos homens como  viver em santidade absoluta. O Senhor Jesus Cristo, ao retornar aos Céus, deixou o  Espírito Santo com o mesmo padrão de santidade absoluta, para nos ajudar na caminhada do processo da santificação. O corpo do cristão passou a ser o santuário do Espírito Santo, ou seja, um lugar que deve permanecer absolutamente em santidade, todo o tempo.  Quando  o crente não  vive esse padrão de santidade, está impedindo a manifestação da glória de Deus na sua vida.  Isso é muito sério!
Por amor a Cristo!