sábado, 10 de janeiro de 2015

AS CINCO LINGUAGENS DO PERDÃO!

 
“...Perdoa as nossas ofensas, assim como perdoamos aos nossos ofensores ( Mateus 6:12)
 O tema Perdão nunca deixará de ser  um assunto  de pauta. Sempre será  atual e oportuno. Se formos considerar uma escala de importância o perdão perderia  apenas para o tema amor.  Cremos que   uma das lições importantes que uma criança deve aprender nos seus primeiros anos de vida é  como lidar com o perdão. Por falta desta consciência, de praticar o perdão,   a sociedade  de um modo geral sofre  graves consequências  nos relacionamentos interpessoais. (siga...)
.  Consultando a Wikipedia, a enciclopédia livre, selecionamos o seguinte texto sobre o perdão: “O perdão é um processo mental ou espiritual de cessar o sentimento ou raiva contra outra pessoa ou contra si mesmo, decorrente de uma ofensa, diferenças, erros ou fracassos, ou cessar a exigência de castigo ou restituição.  
O perdão é o esquecimento completo e absoluto das ofensas, vem do coração, é sincero, generoso e não fere o amor próprio do ofensor. Não impõe condições humilhantes, tampouco é motivado por orgulho ou ostentação. O verdadeiro   perdão se reconhece pelos atos e não pelas palavras”.

Pratique as Cinco Linguagens do Perdão:

1. Demonstração de  arrependimento
Arrependimento é uma atitude sensata  de reconhecimento de atos indesejáveis praticados  contra alguém. É uma conversão, mudança de atitudes, ou seja, tomar uma firme decisão de não mais cometer os mesmos erros.
A linguagem do arrependimento que abre a porta para o perdão é:  “Sinto muito pelo que fiz”.    Esse reconhecimento acompanhado de um profundo arrependimento sensibiliza o coração do ofendido.
2. Assumir a responsabilidade
Errar é humano todos sabemos disso. O que não é  humano é não reconhecer os erros. Só os irracionais são incapazes de medir os seus atos, portanto não são   responsabilizados.
A linguagem da responsabilidade que abre a porta para o perdão é: “eu estava errado”, Aceitar a responsabilidade pelo que fez sem justificar é uma linguagem poderosa que abre o coração do ofendido.

3. Ressarcimento dos prejuízos
O fato do ofensor expressar arrependimento e assumir a responsabilidade pelo que fez, não se exime das consequências dos prejuízos causados ao ofendido. Uma ofensa moral, por exemplo, deve ser retratada publicamente. Danos financeiros devem ser restituídos, a menos que o ofendido absolva-o.
A  linguagem da compensação dos prejuízos  que abre a porta para o perdão é: “O que posso fazer para corrigir isso?”. A disposição  em reparar prejuízos é a linguagem que requer atos práticos e não uma  retórica de arrependimento. 

4. Conversão de Comportamento
A Bíblia nos ensina que não há limites para perdoar. Não significa que podemos abusar dos nossos erros e comportamentos indesejáveis.  Relacionamentos saudáveis e duradouros só serão possíveis quando as rotas de colisão são detectadas e  corrigidas dando lugar a novas rotas de coalizão. Uma conversão de rota
A linguagem da mudança de comportamento  abre a porta para o perdão é: “Estou decidido a não fazer isso de novo”.  Uma mudança de comportamento é um processo e precisará da ajuda do outro não acontece num estalar de dedos.  
5. Verbalizar o Perdão
Muitas pessoas tem dificuldades em verbalizar um pedido de  perdão. O grande obstáculo é o orgulho. Ou achar que será humilhado. Nada justifica não praticar o  perdão. Não é tarefa fácil para o ofendido liberar o perdão. Para alguns casos pode levar um certo tempo. O ofendido quer certificar se houve  verdadeiramente um arrependimento sincero , se o ofensor realmente mudará suas atitudes.  A Bíblia diz que temos que perdoar prontamente, até mesmos os nossos inimigos.
Para  casos bem específicos a liberação do perdão libera o ofensor da dívida, sem a necessariedade  de estabelecer uma amizade profunda de convivência. Por exemplo, quando um casal se separa depois de um  litigio judicial,  causando danos morais e financeiros. As ofensas devem ser perdoadas, os danos financeiros devem ser acordados,  mas é  perfeitamente possível estabelecer  uma civilizada convivência  por conta dos filhos que precisam de ambos.
 
Verbalizar um pedido de  perdão usando a  palavra mágica " você me perdoa?"  é a  chave  mais eficiente para restabelecer amizades rompidas e reatar  relacionamentos entre casais, pais e filhos. 

 
Refletindo:

 
O maior exemplo de perdão vem de Quem nunca injustiçou  alguém, de Quem só praticou o bem,  de Quem ao morrer, disse essas palavras: “Pai perdoa-lhes porque não sabem o que fazem” ( Lucas 23:34).  Esse alguém é Jesus. Só somos cristãos por conta desse gesto amoroso e perdoador  de Jesus!

 
 
 
Por amor a Cristo!