quinta-feira, 30 de abril de 2015

É POSSIVEL REINVENTAR UMA NOVA SOCIEDADE!?


“ Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo
está sob o poder do Maligno” ( I João 5:19)

Ouvindo uma entrevista de um delegado a um programa policial, na TV, não nos surpreendeu com a sua declaração:  “ Precisamos reinventar uma outra sociedade”.  É triste mas essa é a verdade nua e crua.  Se isso é possível, por onde começar? Se partisse de você o que faria? O Blog Meditações vai se juntar a você para buscarmos a resposta: É possível Reinventar uma Nova Sociedade, sabendo que o mundo odo está sob o poder do Maligno?

1.    Para nós cristãos entendemos que a Igreja de Jesus Cristo é a  única instituição que tem o poder de transformação no indivíduo.
“.Digo-lhes a verdade: Tudo o que vocês ligarem na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra terá sido desligado no céu .”    Mateus 18:18
Infelizmente uma boa parcela da Igreja de Jesus Cristo está contaminada e comprometida com os valores do mundo. Parecida com algumas das sete Igrejas do Apocalipse.  Uma boa parte dos políticos cristãos agem como os não cristãos.  Uma parte significativa de empresários agem como os  não cristãos, pouco ou nada investem na Obra de Deus, no mundo.  Não são  diferentes com os seguimentos profissionais, muitos deles agem como os nãos cristãos, sem compromisso com a ética e com os padrões bíblicos.
Os crentes em geral vem agindo como os nãos cristãos. Gastando com coisas fúteis, omissos no testemunho, medrosos e sem poder de reação. Essa transformação deve começar pela Igreja e dentro da Igreja.

2.    Os filhos de Deus precisam reconhecer que são  administradores  temporários e não donos de nada.

“O Senhor  respondeu:  “Quem é, pois, o administrador fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega dos seus servos, para lhes dar sua porção de alimento no tempo devido? Feliz o servo a quem o seu senhor encontrar fazendo assim quanto  voltar.” ( Lucas 12:42,43)
 
Como você se vê lendo esse texto bíblico? Muitos crentes agem como se fossem donos de alguma coisa.  Não sabem ou se esquecem que Deus é o dono de tudo. Agem da mesma forma das pessoas do mundo. Essa mudança de comportamento só ocorrerá se o crente reconhecer a soberania de Deus em sua vida. Ter o mesmo entendimento de Davi quando declarou, em I Crônicas 29:11,12 - “ Tudo que existe nos céus e na terra é seu, ó Senhor, e seu é este reino. Nós adoramos a Deus porque Ele dirige todas as coisas. Riquezas e honra vem somente do Senhor, e Ele é o governador  de toda a humanidade; sua mão controla força e poder, e é por sua vontade que os homens se tornam importantes e recebem força” ( BV). Essa transformação de entendimento muda a sociedade. Deve começar pela Igreja e dentro da Igreja.

3.    Os filhos de Deus precisam saber das graves consequências de se apropriarem daquilo que não lhes pertencem.
 
“Pode um homem roubar a Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam: ”Como é que te roubamos?” Nos dízimos e nas ofertas. Vocês estão debaixo de grande  maldição porque estão me roubando, a nação inteira” ( Mal 3:10,11)
Apropriação indevida é crime em qualquer país do mundo.  Com o povo de Israel Deus tratava com severidade quando uma pessoa cometia esse tipo de crime. As estatísticas tem revelado que cerca de 50% dos crentes membrados em igrejas evangélicas não são dizimistas regulares. Reter o que é devido a Deus caracteriza apropriar-se do que não lhe pertence. Quem não é fiel para Deus seguramente abre brechas para outras práticas indevidas que envolvem governo e pessoas.  Só é possível reinventar uma nova sociedade quando 100% dos filhos de Deus forem fiéis administradores daquilo que Deus lhes confiou. Essa nova sociedade começa pela Igreja e dentro da Igreja.

4.     Reinventar uma nova sociedade precisa passar por um processo
      de  purificação moral, ético e espiritual.
“Vá, santifique o povo! Diga-lhes: Santifiquem-se para amanhã, pois assim diz o  Senhor, o Deus de Israel: Há coisa consagradas à destruição nomeio de vocês, ó Israel. Vocês não conseguirão resistir aos seus inimigos em         quanto não as retirarem” ( Josué 7:13) 
Uma coisa é certa:  nem Deus mudou na forma de Ser Deus, nem o inimigo mudou na forma de ser inimigo. Ou nos rendemos a Deus ou nos rendemos ao inimigo. A purificação é a parte mais difícil e corajosa do processo.  Somente aqueles que estão comprometidos verdadeiramente com o Reino de Deus são capazes de enfrentar tamanho desafio. No passado Josué foi um desses corajosos.  Com a derrota, na conquista de Ai, Josué teve que fazer uma varredura para chegar em Acã, que cometera o pecado da cobiça, retendo a coisa condenada a destruição. (Josué Cap 7). Por conta do pecado de um só homem, foram incalculáveis as consequências: 36 homens morreram; o exército de Israel ficou desfalecido; Deus ameaçou retirar sua presença no meio do seu povo.
A purificação veio através da morte de Acã e família ( Jos. 7:24-26).    Quem achar isso injusto, se veja com Deus. Ou se coloque no lugar dos 36 que morreram. A purificação trás morte da cobiça, da rebeldia, de todo desejo de apropriar-se do que não lhe pertence, do pecado da omissão e de ocultar pecados. Reinventar uma sociedade começa pela Igreja e dentro da Igreja. É preciso cortar o mal pela raiz.     

Refletindo     
                                        
Diante do caos podemos contar com  a intervenção soberana do Criador que  do vazio  criou todas as coisas. A esse  Deus, majestoso, nos prostramos e fazemos nossas a oração de Davi,  nos Salmos 144 e  145: “ Bem-aventurado o povo a quem assim sucede! Bem-aventurado é o povo cujo Deus é o Senhor! ( 144.15);  “ O teu reino é um reino eterno; o teu domínio estende-se a todas as gerações” (145.13); “ ele cumprirá o desejo dos que o temem; ouvirá o seu clamor e os salvará” (145.19).
Você, que é  uma filha ou  um filho amado  de Deus ,o que pensa sobre isso?

Por amor a Cristo!