sábado, 20 de junho de 2015

COMO SER UMA IGREJA EFICIENTE SEM PERDER A SUA ESSÊNCIA!!


“... Conheço as suas obras. Eis que coloquei diante de você uma porta aberta que ninguém pode fechar. Sei que você tem pouca força, mas guardou a minha palavra e não negou o meu nome" 
( Ap 3:8)
 
O assunto em pauta reconhecemos ser extremamente delicado.  Sendo um cristão cinquentenário e comprometido com a fé cristã, as experiências dos anos nos ensinaram lições que não podemos deixar de compartilhar.
 
Lendo  uma  entrevista na revista veja uma frase chamou-me muito  atenção:   “ Parece barato, mas sai caro”.   Uma alusão ao   modelo  político  populismo adotado em nosso país.  Ao invés de adotar uma politica de oportunidades para todos, tira de quem mais tem para dar a quem nada tem. Como é fato que os costumes influenciam toda uma comunidade,  esse modelo político populista e perverso  vem influenciando segmentos religiosos  adotando práticas populistas de atrair membros.

 
Com o passar  do tempo a Igreja de Jesus Cristo vem perdendo a sua essência,  viver fielmente o padrão bíblico. A multiforme Graça que o Evangelho proporciona, tem  se tornado multiformes práticas de atrair “clientes”  e não cristãos verdadeiros. Essa prática religiosa vem se tornando em disputas por  seguidores  para a igreja “ x ou y”  e não seguidores de Jesus. É comum ouvirmos testemunhos, na TV,  de pessoas,  dizendo: " quando vim para essa igreja a minha vida mudou". 
 
Nessa  disputa quem sai perdendo é o Evangelho da Graça, quem ganha é o evangelho do “toma lá  da cá”. Um modelo de ser igreja, onde as pessoas são atraídas para buscar bênçãos  e não para buscar  o  Deus da bênção.  O  Evangelho da Graça é poderoso para responder a fé de quem busca. Aí reside a questão: os profissionais da religião usam esse Poder e essa Fé para conquistar o que querem. Tiram proveito da fé dos que sofrem e lucram  com aqueles que possuem uma fé ambiciosa e hipócrita.
 
Que  associação pode haver entre a   prática política populista com a prática adotada por igrejas cristãs? –  Convido você  a pensarmos juntos sobre essa pergunta:
1-  O Evangelho é de Graça, não pode ser confundido com um evangelho que não tem nenhum custo para quem dele se beneficia.
Não deve haver nenhum tipo de associação entre a Igreja de Jesus Cristo  com práticas  políticas. A tendência das pessoas é procurar facilidades, o mais barato;  se possível, sem nenhum custo. Até mesmo quando se trata de questões de fé.  As pessoas estão mais interessadas em resolver seus problemas quotidianos que fazer um concerto de  vida com Deus. Em buscar ajuda do que oferecer ajuda. O Evangelho da Graça não tem custo para receber a salvação. Cristo já pagou esse preço pelo pecador. Mas, na caminhada cristã tem um custo a pagar, renuncia de si mesmo, doação de si mesmo e de amar a Deus e ao próximo como a si mesmo.  O Senhor Jesus não viveu e nem ofereceu um evangelho de popularidade.  A essência do Evangelho é firmada na verdade e pela verdade.
2- O custo operacional da Igreja de Jesus Cristo é proporcionalmente  compartilhado entre todos os seus  membros.
O propósito da Igreja é edificar os seus membros para serem abençoados e abençoadores. A lei da semeadura deve funcionar na igreja. O Espírito Santo  capacita os membros  com  dons espirituais específicos para atender as necessidades do Corpo, a Igreja. O galardão não é medido   com a quantidade dos dons,  mas sim,  na  fidelidade como exercer os dons.  A Bíblia é clara, ao dizer: " Quem é fiel no pouco será fiel no muito".

Tem sido  prática de muitas igrejas, onde lideres se dão por satisfeitos quando os  seus membros participam dos cultos tradicionais, entregam seus dízimos e dão ofertas quando solicitados.  Vivi boa parte dos meus anos nesse formato de igreja,  que não proporciona crescimento espiritual dos crentes.  Uma igreja celular  que adota o discipulado  é uma igreja que experimenta crescimento e oportunidades para todos os seus  membros. Participo de uma igreja que vive esse modelo, célula e  discipulado,  posso testemunhar o crescimento quantitativo e qualitativo que estamos experimentando nesses últimos anos. Quem vive esse evangelho pleno cultua a Deus  oferecendo-Lhe o que tem de melhor.
3-   O progresso espiritual da Igreja não é medido pelo progresso material  da Igreja  e  de seus  membros, mas medido pela sua maturidade para superar as   perseguições e todos os tipos de crises.
A Igreja de Laodiceia é um exemplo de igreja que caiu na armadilha da prosperidade.  ( Ap. 3:14-21). A nação de Israel foi severamente punida por esse pecado. O profeta Malaquias foi o porta voz de Deus para falar duramente ao povo de Israel.  A história se repete,  renomados lideres por conta de um estilo de ostentação  e vaidade ministerial, levam seus liderados a sacrifícios pesados.
No desespero de alcançar bênçãos  materiais, ou  de alcançar favores de Deus, atendem  os mais absurdos apelos para receber a Graça. Tenho exemplo em minha própria família, em que a pessoa foi induzida a dar como oferta a poupança que destinava a compra  do seu primeiro carro, na certeza que  Deus curaria sua mãe de câncer.  Não foi curada sem que passasse por todo doloroso processo de  tratamento que o caso exige.
A Igreja de Jesus precisa  alcançar  maturidade suficiente para enfrentar dias difíceis que estão por vir. Os crentes, em defesa da fé,  precisam estar preparados para enfrentar crises de toda ordem, terremotos, crise financeira, crise moral.  O profeta Habacuque nos ensina lições preciosas como enfrentar um mundo conturbado  em tempos de crises ( cap. 3).
 4 - Como ser um Igreja eficiente sem perder a sua essência? Arriscamos   algumas ideias:
1ª-    Viver intensamente o Evangelho da Graça. O crente jamais deverá desvalorizar o mérito do
          sacrifício  vicário de Jesus Cristo. O Evangelho da Graça é inegociável. ( I Co 3:10-15_
 
2ª-   Uma Igreja eficiente investe no crescimento dos seus membros. Deve olhar o crente como uma
        pessoa  integral. Investir no espírito, na alma e no corpo.

3ª-   Preparar o crente para  viver uma fé combinada com práticas de boas obras.  Tiago ensina muito
        bem  como viver fé e obras. ( Tiago 2:14-20).
4ª-    Preparar o crente para construir uma família que seja edificada na Rocha ( Sl.127)
5ª-    Preparar o crente como usar com eficiência a armadura de Deus ( Ef. 6:10-19)
Reflexão:
Um Evangelho barato vai se tornar caro para a Igreja de Jesus Cristo.  A  frase: “ Parece barato, mas sai caro”, o que isso tem a ver com a Igreja de Jesus Cristo?  Muito a ver! A igreja cristã quando perde a sua essência,  abarrota-se de pessoas que não estão comprometidas com o Evangelho. Pessoas consumidoras do evangelho e não comprometidas com o Reino. Pessoas totalmente  despreparadas para enfrentar as inevitáveis  crises  no casamento, com os filhos, familiares, enfermidades, financeira,  crise profissional.  Por não encontrar respostas ´para as suas crises migram de uma igreja a outra.  Crentes  superficialmente tratados de suas feridas emocionais e espirituais.  O custo será alto!  " O barato sai caro". Gastamos mais energia e dinheiro com recuperação de membros do que com a evangelização com os não salvos. É para pensar!

Por amor a Cristo!