sábado, 25 de julho de 2015

O QUE TORNA UMA IGREJA SAUDÁVEL E INTENCIONAL?




 
“....  Sejam  sempre bondosos uns para com os outros e para com todos”  ( I Ts.5:15.b)



O grande desafio da igreja contemporânea é manter-se pura diante de um mundo mergulhado no pecado. Manter os seus membros fiéis e comprometidos com a fé cristã, viverem o amor bíblico entre irmãos com práticas cristãs diferentes.

As exortações de Paulo, dirigidas aos cristãos de Tessalônica,    são extensivas a   todas as igrejas de Jesus Cristo  até a sua volta. Ao final de sua carta – I Tes 5:12-24, vamos encontrar dez ações que tornam uma Igreja saudável e intencional:

1ª-  Quando os seus lideres espirituais são plenamente valorizados.
“... Tenham na mais alta estima, com amor, por causa do trabalho deles...” ( v.13)
Os lideres espirituais são chamados por Deus, portanto,  devem ser dignos de respeito e honra. A honra não é um mérito pelo que faz, mas pelo que é.  O líder espiritual não deve ser considerado como um profissional, mas um vocacionado. Como tal prestará contas a Deus de seus atos e de seu chamado.

2ª- Quando todos os membros são atuantes e não  há espaço para ociosidade. 
“... a que advirtam os ociosos...” (v.14.a)
A ociosidade não tem lugar na Igreja de Jesus Cristo.  A categoria  de crentes “SSS”- Salvo, Sentado e Satisfeito é invenção do Diabo, para imobilizar os crentes de suas responsabilidades. A Igreja é um Corpo Espiritual formada por todos os membros que dela se comprometeram, através do batismo e transferências. Todos os membros  possuem funções especificas e necessárias. Paulo trata dos dons espirituais  em I Corintios 12.

3ª- Quando seus membros são encorajadores e pacientes para com todos.
“... Confortem os desanimados, auxiliem os fracos... sejam pacientes para com todos...”(v.14.b)
A Igreja é uma grande família.  Uma miscigenação  de raças e  culturas. De todas as  idades e necessidades físicas, emocionais, intelectuais e espirituais. Os mais experientes devem ajudar e encorajar os mais jovens na fé a não se desanimarem na caminhada. Paulo trata essa questão em sua Epístola a Tito, cap.2.

4ª- Quando seus membros não compactuam com nenhuma forma de mal.
“... Tenham cuidado para que ninguém retribua o mal com o mal... Afastem-se de toda forma de mal...”(v. 15.a,)
É difícil viver em um mundo com todo tipo de males  e não sermos atingidos.
Paulo está dando duas dicas importantes:   “tenham cuidado”, “afastem-se”. O Livro de provérbios é riquíssimos em dicas de como lidar com o mal. Compactuar é tomar parte, ser cúmplisse do mal.  Esse tipo de comportamento que Paulo exorta a não praticarmos.

5ª- Quando a alegria é um estado de espirito permanente.
“... Alegrem-se sempre...” (v. 16)
A alegria a qual  Paulo se refere  é pelo  fato de fazermos parte da Igreja de Cristo. Nada pode ser mais  contagiante e compensador do que participar das aflições de Cristo, através do testemunho da fé.  O Apóstolo Pedro faz coro com Paulo, quando diz: “ Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria”( I Pe 4:13).

6ª- Quando a oração é ministério continuo na vida dos crentes.
“...  Orem continuamente...”(v.16)
A oração é o ministério mais importante da igreja através dos seus membros. É fato que uma igreja que ora, continuamente, é uma igreja que cresce e experimenta poder e vitória sobre o pecado. A oração traz revelações que só a Igreja tem acesso, - “Clama a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece”( Jr 33:3).

7ª- Quando seus membros dão graças em todas as circunstancias.
“... Deem graças em todas as circunstancias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus” v.18)
Não é fácil dar graças a Deus diante de circunstancias adversas. Não é pecado reconhecer a dor, a perda, uma situação desfavorável e conversar  com Deus. O pecado está em abrir espaço para murmuração e culpar a Deus.  A vontade original de Deus é que sua criatura desfrutasse de uma vida plena, sem dor, sem perdas e sem mortes. A vontade substituta de Deus que encontremos paz e consolo, na pessoa de Cristo Jesus, que levou sobre si todo sofrimento humano. 

 8ª- Quando seus membros vivem de acordo com a Palavra de Deus.
“... Não tratem com desprezo as profecias, mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom”( v.19).
A fé genuinamente cristã é gerada no conhecimento e na prática da Palavra de Deus. A palavra de Deus não é uma sugestão mas um mandamento de Deus a ser vivido na integralidade. Não é para ser discutida, avaliada, mas para se crer. Não é para conquistar simpatizantes religiosos, mas mostrar a verdade e conduzir a pessoa ao arrependimento dos seus pecados. A palavra de Deus conduz o crente à pureza e santidade.

9ª- Quando o Espírito Santo governa a Igreja e a vida de seus membros.
“... Não apaguem o Espírito...”( v. 19)
Não há Corpo Espiritual, Igreja, sem a presença do Espirito Santo. Não há  vida salva, em Cristo Jesus, sem que tenha  a presença do Espírito Santo. Não há vida vitoriosa sem a atuação do Espirito Santo. Não há vitória sobre a carne se o Espirito Santo não governar a nossa vida em todos os aspectos, espírito, alma e corpo.   Quando o Espírito Santo deixa de atuar na vida da igreja e dos seus membros, está decretado o fracasso.

10ª- Quando o próprio Deus  age no processo de santificação na Igreja e na vida dos             seus membros.
“... Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Aquele que os chama é fiel, e fará isso.”( 23,24)
Esse texto é tão singular e importante quanto João 3:16. Um Deus que se importa com os seus filhos. Um Deus que quer ver o progresso espiritual de seus filhos. Um Deus que quer fazer de cada filho um modelo de  uma vida irrepreensível, preservados para reinar com o Senhor Jesus.

REFLEXÃO:
O cristão tem tudo para viver uma  vida saudável e intencional, mesmo vivendo em um mundo cruel e desigual. As condições para isso foram alistadas por Paulo de forma clara e objetiva.
Quando Deus age, quem se ousa impedir? Pense nisso.

Por amor a Cristo!