sábado, 1 de agosto de 2015

NO CASAMENTO QUEM É MAIS COBRADO O MARIDO OU A ESPOSA?




“... Mas o Senhor Deus chamou o homem, perguntando: “Onde está você?”  (Gn. 3:9)



As queixas mais frequentes no casamento estão  ligadas as questões das responsabilidades. Nos últimos 50 anos a família vem passando por grandes mudanças. No passado não muito distante as estruturas familiares eram mais solidas e as funções bem definidas. Por conta dessas mudanças a família vem se descaracterizando na sua essência.

O tema é uma pergunta : Quem é mais cobrado o marido ou a esposa? Vamos dividir a resposta sob duas perspectivas: Estrutural e Funcional.

1-   ESTRUTURAL
 Estrutura é a parte mais importante de uma construção. A Bíblia fala de dois tipos de edificação: a construída sob a rocha e a construída sobre a areia (Mt. 7:26,27). Rocha é formada com elementos sólidos. Os valores familiares são os elementos que compõem essa rocha, que se somam as habilidades individuais e recursos disponíveis.  A liderança é um componente imprescindível na estrutura familiar. No projeto de Deus o homem foi devidamente preparado para essa função. Essa descrição de missão foi  dada pelo Criador da família  logo ao criar o primeiro homem.  O que Deus diz?: “Não é bom que homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda:
( Gn. 2:18).  Quando Deus diz: “farei para ele (homem) alguém que o auxilie”, está entendido que a coluna base do casamento foi criada na pessoa do homem. Sem o homem não há formação de família. O casamento formado nessa estrutura original tem a garantia do fabricante, o criador da família. A mulher é a parte correspondente do projeto familiar.  É a  segunda viga estrutural de uma família. Nesse quesito, da liderança,  a cobrança será sempre maior da parte do homem.

2-    FUNCIONAL  
A funcionalidade de um projeto é tão importante quanto a estrutura. Do ponto de vista funcional as responsabilidades são igualmente repartidas. No casamento não há tarefas mais ou menos importantes. A união através do casamento faz do homem e da mulher uma só carne; significa que um completa o outro. Esta união deve englobar todos os aspectos da vida: intelectual, social, espiritual, emocional e físico.

Deus deu ao homem exercício da autoridade e não poder de propriedade. Veja a descrição funcional do homem: “ o Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo” (Gn. 2:15).  Ao criar a mulher Deus dividiu essa responsabilidade com o homem: “todavia não se encontrou para o homem alguém que o auxiliasse e lhe correspondesse... o Senhor Deus fez uma mulher e a levou até ele” ( Gn.  2:21,22). Deus não criou a mulher para cumprir um segundo plano, nem para ser competidora do homem. Nem o homem nem a mulher foram criados por Deus para criar seus próprios projetos. O Cuidar e o Cultivar é uma descrição de missão para ambos, inclui definitivamente a família em todos os seus aspectos. Nesse quesito funcional de  “Cuidar” e “Cultivar”  a cobrança recairá sobre ambos. A ênfase bíblica sobre a criação de filhos é sempre sobre os pais.

COBRANÇA DE DEUS EM RELAÇÃO AO HOMEM E A MULHER.
“... A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito será pedido” ( Lucas 12:48).
Diante de Deus as responsabilidades tanto do homem quanto da mulher se nivelam. A cobrança é individual, os resultados são coletivos, entretanto, as consequências afetam a todos. O Capitulo três de Gênesis é a mais triste narrativa  de todos os episódios bíblicos. Trata-se da queda e das consequências do pecado. As primeiras punições foram feitas de forma individual com consequências à toda raça humana.

. Da parte do homem ( Gn. 3:17-19)
Adão foi punido por Deus por sua omissão na liderança. “ Visto que você deu ouvidos a sua mulher” (v.17). Eva estava sendo sediada, seduzida e finalmente  enganada. A liderança de Adão fracassou e Deus cobrou dele. A punição foi severa: a terra foi amaldiçoada; o sustento seria com muito sofrimento e com muito suor; voltaria ao pó onde foi formado. Adão deu ouvidos a sua mulher para fazer algo que estava em desacordo com a ordem de Deus. Um casal que entra em acordo e Deus está nesse acordo evitará punições indesejáveis. Adão pecou, recebeu a punição, as consequências do seu pecado são refletidas em toda raça humana. Entretanto, as maldições são  potencializadas quando  o homem deixa de cumprir o seu papel pelo qual foi criado.

. Da parte da mulher ( Gn. 3:16)
Eva foi punida por Deus em três aspectos: 1- Maternidade. “Multiplicarei grandemente o seu sofrimento na gravidez; com sofrimento você dará à luz filhos”(v.16.a); 2- Desejos. “Seu desejo para o seu marido”; 3- Domínio. “e ele a dominará”. Eva desejou ser livre e com plena autonomia. Exerceu suas habilidades femininas para  convencer Adão a seguir os seus desejos.
A partir da queda o relacionamento marido e mulher ficou intensamente complicado.  A maldição atingiu o que é mais sagrado na mulher que é a  maternidade. Gerar filhos deixou de ser uma missão  prazerosa. Em geral as mulheres fogem de ter parto normal. E muitas mulheres nem desejam ser mães.  Na questão sexual a mulher é muito usada pelo homem. O domínio do homem sobre a mulher tem levado a muitos conflitos conjugais, separações e  muitas tragédias. De  qualquer forma a mulher tem sido mais cobrada em manter o equilíbrio da família.  Eva pecou, recebeu a punição, as consequências do seu pecado são refletidas em toda raça humana. Entretanto, as maldições são potencializadas quando a mulher deixa de cumprir o seu papel pela qual foi criada.

REFLETINDO:
O casamento é como uma viagem de uma travessia oceânica. A superação dos inevitáveis contratempos é resultado de ações conjuntas e coordenadas. Assumir mutuamente as responsabilidades é a atitude mais coerente que torna o casamento viável e vencedor. As justificativas e as transferências de responsabilidades não minimizarão  os efeitos das consequências. As declarações de amor no momento do voto do casamento “na alegria e na dor, na fartura e na escassez, na saúde e na dor", deve ser pra valer no contexto do casamento enquanto a vida durar.
Por amor a Cristo!