domingo, 27 de setembro de 2015

LEI E GRAÇA: UMA HARMONIA PERFEITA


"... A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à Lei de Deus, nem pode fazê-lo." ( Rm. 8:7). 

Permitam-me dizer que não sou teólogo nem um especialista em assuntos teológicos que demandam profundo conhecimento das Escrituras. Sendo um cristão que deseja crescer e aperfeiçoar-se no conhecimento da Palavra de Deus, Lei e Graça, deve entrar no rol de assuntos  que merecem profunda compreensão.Na nossa modesta compreensão, das Escrituras, entendemos que Lei e Graça é uma combinação perfeita. Uma não invalida a outra.
  
A lei é um conjunto de regras  necessárias numa comunidade organizada. A graça é um conjunto de ações, envolvendo Deus Pai (amor doador), Deus Filho (amor sacrificial)  e Deus Espírito Santo (amor convencedor ), cujo  proposito  reconciliar o homem com Deus.
A Lei se completa na Graça, e a Graça se completa na Lei. Tanto a Lei quanto a Graça são instrumentos de Deus, em benefício  da sua mais importante obra da criação, o homem.

Como a Lei se harmoniza com  a Graça?
“... Que diremos então? A Lei é pecado? De maneira nenhuma! De fato, eu não saberia o que é pecado, a não ser por meio da Lei...”( Rm 7:7).
O principal atributo de Deus é o amor.   A prova inquestionável, quando entregou o Seu único Filho para o sacrifício, em cumprimento da Lei. A lei exigia sacrifício e morte. Por amor, executou o Seu Filho perfeito, para resgatar filhos imperfeitos, do qual eu sou um deles
O Apóstolo Paulo escrevendo aos Romanos trata com muita clareza essa questão.  Enfatiza a importância da Lei para denunciar o pecado. O pecado, não a Lei, deve ser censurado. A Lei de Deus reflete Seus princípios morais e justos, é santa. ´Assim, a Lei é santa; e o mandamento, santo, justo e bom”( Rm.712.  A Lei simplesmente não tem o poder de tornar uma pessoa justificada. Mais exerce uma função importante, aponta a minha natureza carnal: “ Porque bem sabemos que a Lei é espiritual, mas eu sou carnal, vendido sob o pecado” (Rm. 7:14). Nesse processo harmonioso  entra a operação  da Graça ( Efésios 2:8-10). A Lei perfeita nos encaminha para a Lei da Graça, enquanto  que a lei do pecado, nos empurra para longe de Deus.
Como a Graça se harmoniza com a Lei?  
"... a fim de que  as justas exigências da Lei fossem plenamente satisfeitas em nós, que não vivemos segundo a carne, mas segundo o Espírito" ( Rm. 8:4 )

A Lei é impessoal  aplicada  igualmente  para todos focando nas atitudes e não nas intenções. Enquanto a Graça é pessoal  age motivada pelo amor, sempre levando para o campo do perdão incondicional. Está ao alcance de todos.
A pessoa agraciada pela Graça, passa por uma experiência única de forma sobre natural de transformação no seu interior, que resulta em repensar os seus padrões de comportamento. Passa a agir não por causa de uma lista de regras, mas por amor a Deus sobre todas as coisas. Passa a amar a Lei de Deus, tê-la  como boa, santa, para a sua edificação e crescimento espiritual. Entender a profundidade de cada verso do Salmo 119, que narra a excelência da Lei divina. Passa viver com um coração de gratidão por ter sido alcançado pela Graça de Deus.
Que essa maravilhosa Graça  não seja objeto de  exploração por inescrupulosos  que vivem se locupletando a fé alheia.

Lei e Graça trabalham em favor dos justos para prática de boas obras
 “... Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” ( Ef. 2:10 )
Muitas Igrejas e empresários cristãos deixam de praticar projetos sociais por desconhecerem leis vigentes em nosso país.  Lançar mão dessas prerrogativas legais,  são atitudes louváveis e inteligentes que cooperam com a Graça, no sentido de favorecer as pessoas através de práticas de boas obras.
A Lei age em nosso cognitivo para desenvolvermos a disciplina, a obediência, a organização, os dons naturais.  A Graça age em nosso favor  para desenvolvermos a intimidade com Deus, a comunhão dos santos, os dons espirituais, a fé prática.
Para exemplificar como a Lei e a Graça trabalham em favor dos justos, Pedro nos dá uma ação prática: “Sobre a Tua Palavra lançarei as redes” (  Lc. 5:5-7).  Fé sem obediência não produz boas obras. A Graça não premia uma pessoa sem fé, infiel, indisciplinada. Por quê? Tanto a Lei quanto a Graça  fazem parte do caráter santo de Deus.  A Graça não contempla, por exemplo, o motorista que não obedece as leis do transito, que desonra o cônjuge, que dá calote nas pessoas, quem difama um irmão, etc.

REFLETINDO
“... somos feitura dele...”
Se somos “feitura de Deus” significa que somos uma obra-prima de Deus, uma obra de arte. Fica claro que nossa salvação  é algo que somente Deus pode fazer. E já fez, através de Jesus Cristo.  Tornamo-nos cristãos pelo favor não merecido que recebemos de Deus, e não pelo resultado de esforço e valor próprio ( Ef. 2:8).  Embora nenhuma obra ou trabalho possa nos ajudar a alcançar a salvação, o propósito de Deus  é que ela resulte em uma fé viva.  O pecado engana as pessoas pelo uso errado da Lei. A lei expressa a natureza santa de Deus e seu propósito para com as pessoas. "Se alguém se recusa a ouvir a lei, até suas orações serão detestáveis"( Pv. 28:9) . Amem!

Por amor a Cristo!