segunda-feira, 14 de setembro de 2015

NADA MUDOU DEBAIXO DO SOL!


"... Tudo isso  vi quando me pus a refletir em tudo
 o que se faz debaixo do sol..." ( Ecl. 8:9) 

Cada vez que medito na história de Jó,  suas perdas e sofrimento, a  provocação de Satanás, o encontro dos três amigos, faz-me refletir o que isso tem a ver em pleno seculo XXI? A conclusão que chego, é que nada mudou debaixo do sol. Deus não mudou, Satanás não mudou, a maneira como tratamos as pessoas em sofrimento não mudou. Vamos juntos pensar sobre isso?


1.     DEUS CONTINUA SENDO DEUS COM TODA SOBERANIA E TEM O CONTROLE ABSOLUTO SOBRE TODAS AS COISAS.
“... O Senhor abençoou o final da vida de Jó mais que o início...”( Jó 42:12)
A soberania de Deus não permite a interferência de Satanás. É sabido que Satanás está a serviço do mal, as suas ações são temporais e localizadas, não é nem onipotente nem onisciente.  Suas ações não vão além da permissividade de Deus. Na vida de Jó, Satanás, não foi além do que Deus havia permitido. Satanás não foi além porque Jó permaneceu fiel, em nenhum momento blasfemou contra o seu Deus. “Em tudo isso Jó não pecou e não culpou a Deus de coisa alguma”( Jó 1:22).  
A blasfêmia elimina a proteção divina e abre brechas  para Satanás fazer o que quiser. O mais terrível é que quando se abre essas brechas Satanás atinge gerações. Jó não permitiu que a sua futura geração fosse contaminada pela semente da blasfêmia. O final da vida de Jó foi muito melhor do que o seu começo.
A boa notícia, qualquer pessoa que herdou essa herança pecaminosa geracional, pode  interromper na sua vida através do sangue de Jesus Cristo. O seu final será  melhor! 

2.     SATANÁS CONTINUA SENDO SATANÁS, NÃO VAI ALÉM DO QUE DEUS PERMITE NA VIDA DE UM FILHO DE DEUS.
“.... O Senhor  disse a Satanás: “Pois bem, tudo o que ele possui está nas suas mãos; apenas não toques nele...” ( Jó 10:12)
Os acontecimentos na  vida de Jó nos dão base bíblica para afirmar que Satanás não vai além do que Deus permite na vida de uma pessoa justificada no sangue de  Jesus Cristo. Ao passo que a  mesma afirmação não podemos dizer em relação ao ímpio.
Quando Adão e Eva escolheram comer do fruto da árvore, do bem e do mal, imediatamente,  passaram a ter entendimento suficiente para fazer suas escolhas e sofrerem as consequências delas.  O mundo passou a representar essa árvore do bem e do mal. O mundo produz frutos bons e maus. Satanás continua induzindo as pessoas, transformando um fruto bom em mal, e um fruto mal em bom. Isaías sentencia  sobre isso: “ Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo doce e do doce, amargo...” ( Isaias 5:20,21). 
Alguns exemplos  para os dias de hoje:  o casamento é um fruto bom, Satanás, vem se transformando em um fruto ruim. O dinheiro é uma coisa boa, Satanás, tem induzido as pessoas a serem escravas dele. O que dizer do trabalho? Dos alimentos? Etc.

3.     A MANEIRA COMO MUITOS DE NÓS TRATAMOS UM IRMÃO EM SOFRIMENTO NÃO TEM SIDO DIFERENTE DOS TRÊS AMIGOS DE JÓ.
 “... Voces, porém, me difamam com mentiras; 
todos vocês são médicos  que de nada valem” ( Jo 13:4)
Preciso ser transparente ao dar a minha interpretação pessoal. Na condição de um cristão  cinquentenário  coloco-me na frente dessa  fila de cristãos parecidos com os três amigos de Jó. Não sei  qual dos três pareço-me mais. Arrisco-me a dizer que possuo um pouco de cada um deles. O fato é que muito de nós,  cristãos de carteirinha,  criamos uma capa religiosa que nos coloca num pedestal espiritual irrefutável. Cheio de técnicas e presunçosos.  Gerando obras mortas,   vazios   de poder e autoridade, desqualificados a orar por uma pessoa necessitada. Deus abomina esse tipo de religiosidade. Veja o que aconteceu com os três amigos de Jó : “ Depois que o Senhor disse essas palavras a Jó, disse também a Elifaz: “ Estou indignado com você e com os seus dois amigos, pois vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu servo Jó. Vão agora até meu servo Jó, levem sete novilhos e sete carneiros, e com eles apresentem holocaustos em favor de vocês mesmos. Meu servo Jó orará por vocês; eu aceitarei a oração dele não lhes farei o que vocês merecem pela loucura que cometeram. Vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu servo Jó ”( Jó 2:7,8). 
Não é suficiente possuir um conjunto de doutrinas corretas. Saber em que acreditar não é tudo o que se requer para praticas de boas obras.  Infelizmente  é o que muito de nós  cristãos praticamos.  O julgamento e a presunção são graves pecados. Deus chamou os amigos de Jó de loucos e que não mereciam o Seu favor.

REFLETINDO
“... É melhor buscar refugio no Senhor do que confiar nos homens” ( Sl. 118.8)
Essa reflexão nos remete a repensar a nossa conduta cristã. Como tornarmo-nos bons consoladores para com os que sofrem? Compartilharemos cinco dicas importantes- (extraído da Bíblia Aplicação Pessoal):
(1) Não fale apenas por falar; (2) Não faça sermões dando respostas superficiais;  (3) Não acuse ou critique; (4) Coloque-se no lugar da outra pessoa; (5) Ofereça ajuda e encorajamento.

Por amor a Cristo!