sábado, 31 de outubro de 2015

DÍVIDAS: UMA DAS PIORES FORMAS DE ESCRAVIDÕES!


  
“Quem toma emprestado é escravo de quem empresta” (Pv  22:7b,)
   “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos  outros: porque  quem ama aos outros cumpriu a lei".( Rm.13:8) 


O tema em pauta  é de interesse global  abrange  um universo de 70% das pessoas do planeta. A dívida é uma das piores formas de escravidões; porque atinge as três áreas do ser humano: espirito, alma e corpo. Escravidão pressupõe falta de liberdade. 

Para quem vive ou  já viveu algum tipo de escravidão entende bem o valor real da liberdade. O mundo moderno vive um tipo de escravidão avassaladora, a escravidão financeira. Deus não planejou escravidão financeira para ninguém. Deus criou o ser humano com livre arbítrio, para fazer suas próprias escolhas, mas estabeleceu a condição: de  assumir as consequências de seus próprios atos.

Há registros na Bíblia de mais de 2.300 referências sobre dinheiro. A Bíblia aponta dívidas como uma escravidão.  “Quem toma emprestado é escravo de quem empresta” (NVI).  Romanos 13:8, diz:  “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos  outros: porque  quem ama aos outros cumpriu a lei” (NVI). A falta de conhecimento destes e de outros princípios bíblicos, tem levado muita gente à escravidão por toda à vida.  Viver permanentemente no negativo financeiro é como se uma pessoa estivesse dando passos para trás. O percentual de famílias e de pessoas endividadas é simplesmente alarmante. Estatísticas recentes apontam um quadro  não muito animador da  saúde financeira dos Brasileiros.



Percentual de famílias endividadas
 aumenta pela quarta vez seguida.

Fatia passou de 61,6% em abril para 62,4% em maio.
Pesquisa sobre endividamento e inadimplência é da CNC.

(Fonte: g1.globo.com/economia-noticias 28/05/2015)

Dívida: uma Presunção do Amanhã. 
 O dicionário define a dívida como: “ Obrigação; dever a cumprir”. A dívida inclui dinheiro, empréstimos bancários, dinheiro emprestado por familiares, hipoteca da casa e todo tipo de contas vencidas, como contas de eletricidade, consumo de água e tudo mais.

Ao contrairmos uma dívida, supomos que, futuramente, ganharemos  o dinheiro para pagar. Isso é presunção, pois ninguém sabe do seu futuro, nem  quantos  dias viverá na terra. É impossível criar uma expectativa segura  do futuro tanto para ganhar quanto para gastar.  O futuro só a Deus pertence. A Bíblia nos adverte o seguinte: “Agora escutem, vocês que dizem: “Hoje ou amanhã iremos a tal cidade e ali ficaremos um ano fazendo negócios e ganharemos muito dinheiro”. Vocês não sabem como será a sua vida amanhã, pois vocês são como uma neblina passageira, que aparece por algum tempo e logo depois desaparece” (Tiago 4:13-14 – NTLH).

O Que a Bíblia diz sobre a Dívida?
O grande sábio rei Salomão, inspirado por Deus, escreveu o seguinte sobre quem deve: “Os ricos mandam nos pobres, e quem tomar emprestado é escravo de  quem empresta” (Pv. 22:7. NTLH).
Todo tipo de escravidão Deus abomina.  Quando nos endividamos  desordenadamente, as contas saem do controle, passa ser um tipo de escravidão. O sistema financeiro, as grandes  lojas de departamentos, com suas  promoções e ofertas, tem feito reféns  mais da metade dos brasileiros. 

Dívida: uma maneira de mascarar uma realidade presente.
Ficar endividado para manter uma falsa imagem de si mesmo não é uma boa coisa para se fazer na vida.  A máscara não é permanente, chegará o momento em que a  vida real se revelará.

 Como sair do negativo Crônico

Tem muita gente indo atrás de milagres.  É  possível sair de uma situação cronica de endividamento, mas o remédio é amargo e longo.   Para os especialistas em educação financeira, o endividado crônico é aquele que  não consegue  saldar suas dividas  e nem consegue mais crédito no mercado, tornando-se  inadimplente não ocasional. 

Decisões importantes para sair do negativo crônico


a)    Liberte-se  do  negativo emocional

O negativo emocional é um tipo de dívida. Isso não se refere ao financeiro propriamente dito, são experiências traumáticas do passado que causam  bloqueios pelo resto da vida.  Vamos dar um exemplo que  reflete a vida de muitas famílias que não conseguem pagar suas dívidas de  financiamento da  casa própria. São famílias comuns, que por conta de não poder pagar as prestações do financiamento da  moradia, perderam suas casa por ordem  judicial, sem ter um  lugar para onde ir. Momento de muita humilhação e dramático para toda a família.
A criança não entende isso e carrega esse trauma  de infância para a fase adulta. Se tiver que tomar uma decisão de financiar o seu próprio imóvel, a experiência  vivida no passado,  se não tratada,  poderá interferir na tomada de decisão.  
Se você trás alguma experiência negativa, na área financeira, que lhe causou  frustrações ou traumas,  coloque isso diante de Deus.  Libere perdão para aqueles que  prejudicaram e liberte-se desse “negativo emocional”. Se não conseguir sozinho busque  ajuda de um  profissional.

b)   Liberte-se  da  dependência de pessoas

Cada indivíduo nasce totalmente dependente de outras pessoas em especial dos pais. Gradativamente essa dependência vai dando lugar a individualidade responsável.  O que se espera é que cada  pessoa alcance o grau de maturidade e responsabilidade suficientes para tomar as suas próprias decisões e desenvolver o seu projeto de vida. Sair da dependência para viver na interdependência. Somos seres sociais e a vida deve ser compartilhada. 

c )   Liberte-se  do Comodismo

A dependência gera comodismoComodismo é ficar satisfeito com o que é, e com o que tem. É entrar no time daqueles que dizem: “não tem mais jeito”, “Eu nasci assim e vou morrer assim”, “Estou no negativo, vou morrer  no negativo”.  O comodista  consegue  amaldiçoar a si próprio.  A sua mente gera constantemente pensamentos negativos.

c)    Liberte-se  dos maus hábitos

Libertar-se dos maus hábitos é uma decisão pessoal.  Para você encarar uma nova postura de vida  é preciso abandonar os velhos  hábitos e começar a semear hábitos novos.  Você é um ser, três em um: Espírito, Alma e Corpo; o seu espírito,  pode contar com a ajuda de Deus. Aproprie-se disso, fazendo   suas as palavras  do Apóstolo  Paulo,  em Filipenses 3: 12, que  diz: “Não que  eu  tenha já recebido ou tenha  já  obtido a perfeição; mas prossigo para  conquistar aquilo  para o que  fui também conquistado por Cristo Jesus”. (Bíblia  de Estudos)



d) Limpe o seu Nome








O nome é um patrimônio inegociável. Provérbios 22:1a, diz: “ O bom nome vale mais do que muita riqueza.” ( NTLH-SBB, 2011).  Sair do  negativo financeiro, limpar o nome na praça e nos órgãos de proteção ao  crédito,  devolverá a autoestima,   e abrirá o caminho  para semear  e  prosperar.  Não considere normal usar o nome de outra pessoa para fazer compras à prazo. Corte esse mal pela raiz.

e)    Não  transfira culpa a ninguém










A transferência de culpa só tem um perdedor, a própria pessoa. Quando a culpa é legítima (justa, correta), só existe um jeito de se livrar dela: descobrir a causa (aquilo que causou a culpa) e fazer as devidas  reparações.  Sempre usar o bom senso, buscar sempre que possível, uma solução pacífica. Se a causa é ilegítima (injusta), liberar  perdão para quem acusa e seguir em frente.   

g) Marque uma data, o dia “D” para sair das dívidas








Para quem está vivendo um endividamento crônico, sair das dívidas dependerá de uma boa disposição, uma boa disciplina e muita persistência. Demandará tempo, renuncia e sacrifício. Mas você conseguirá!!! A sua força, aliada a sua fé no Deus da promessa, fará de você um vencedor.

 Quem  não tem bens para vender, o que fazer com as dívidas impagáveis?
Temos que admitir esse tipo de possibilidade. Para esses casos mais delicados, poucas alternativas restam.   O que podemos sugerir?
a)    Se ainda possui o bem que originou a dívida, proponha a devolução ao
credor.
 É muito constrangedora uma situação dessa. Contudo, o devedor está  demonstrando  disposição em pagar a dívida.

b)   Pedir ajuda a parentes ou amigos mais chegados.
Algumas situações comovem o coração das pessoas piedosas e do próprio Deus. No passado Deus interviu em  favor de uma viúva que ia entregar os filhos por uma dívida. (Esse relato bíblico você encontrará em 2 Reis capitulo 4:1-7).

c)    Pedir clemência ao credor.
Usar de sinceridade e se humilhar diante do credor e pedir perdão pela dívida. Ou se propor  a fazer algum tipo de trabalho como forma de reparar a dívida.

d)   O que  não recomendamos definitivamente:











-  Não reconhecer a dívida que tem;
Continuar fazendo novas dívidas, sem se importar com as que já tem;
Se conformar com a inadimplência;
Utilizar o nome de outra pessoa para continuar fazendo dívidas;
 Fazer das dívidas um estilo de vida.

Alternativas para investir o seu dinheiro.  


Use as suas habilidades e conhecimento. Faça bom uso dos recursos financeiros que dispõe. O sistema financeiro em nosso País  é um  dos mais complexos, com muitas oscilações, mas você encontrará um farto mercado na área  de investimentos.  A Bíblia recomenda conhecer tudo e se apropriar  daquilo que for  útil.  Se você dispõe de poucos recursos para investir, seja mais cauteloso, aplicando em investimentos mais tradicionais, como:
a)    Caderneta de   poupança.
b)    Nos fundos de renda fixa.
c)    Consórcio, etc.
Se você tem mais recursos, é ousado, e deseja diversificar as aplicações, encontrará várias modalidades de investimentos.  Alguns exemplos:
a)     Letras do Tesouro.
b)     Letras de câmbio.
c)     Letras de crédito Imobiliários.
d)     Letras hipotecárias.
e)     Imóveis, etc.
Em qualquer situação siga o  seu instinto de investidor, sempre  se  valendo de uma  boa assessoria,  sobretudo, respaldado na orientação  da Palavra de  Deus.

REFLETINDO:
E agora?!.....

Todo recomeço exige atitude. Todo tratamento exige  aplicação e persistência. Mudar de hábitos não significa simplesmente  trocar os hábitos. Propomos a você  viver os Princípios Bíiblicos  como  estilo de vida, que devem ser praticados  de forma natural e contínua. Há situações que deve haver libertação, em se tratando de uma  escravidão financeira  geracional. Outras Situações,  cura emocional de traumas do passado. O mesmo deve acontecer com quem idolatra o dinheiro como principal meta de vida.  Para uma pratica financeira saudável recomendamos Cursos de  finanças que prezam os princípios bíblicos.


Por amor a Cristo!

NOTA:
Preparamos um Curso de Finanças  " FINANÇAS & VIDA " nossa  contribuição na luta contra escravidão financeira. Se você deseja fazer o curso recebendo o material em seu computador, entre em contato conosco através do e-mail:  araosalgado@gmail.com