domingo, 6 de dezembro de 2015

ONDE ESTÁ O TEU DEUS?


“... Minhas lágrimas tem sido o meu alimento de dia e de noite,
 pois me perguntam o tempo todo: “Onde está o seu Deus?”
 ( Sl. 43:3 )

Você já foi confrontado por alguém  que lhe dirigiu esse tipo de pergunta: Onde está o teu Deus? Ou quem sabe você mesmo em algum momento de adversidade fez esse tipo de questionamento: “Onde está o meu Deus?”.
Em toda historia da humanidade  sempre houve questionamento a respeito de Deus. A única nação da terra que desfrutou de um relacionamento pessoal com Deus, foi o povo Israel: “Ele revela a sua palavra a Jacó, os seus decretos e ordenanças a Israel. Ele não  fez isso a nenhuma outra nação”  (Sl. 147:19,20). Nem mesmo Israel passou no teste de fidelidade! 
Mesmo que as estatísticas apontam um crescimento assustador de pessoas descrentes, é impossível alguém ousar querer mostrar onde Deus não está.  Deus está presente em toda obra da criação. Está presente em todos os lugares visíveis e invisíveis. Os Seus atos manifestam de muitas maneiras a Sua presença. Vamos destacar duas em especial:  benção e maldição. Para trazer melhor entendimento do que vamos asseverar, examine o que está escrito em  Dt. Cps. 27 e 28.

ONDE DEUS ESTÁ COM A SUA BÊNÇÃO?

“... O Senhor mandará que a bênção esteja contigo nos teus celeiros e em tudo que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que te der o Senhor, teu Deus” ( Dt. 28:7)

A bênção  é a resposta afirmativa  na vida de quem está disposto a viver os princípios de Deus, revelados em sua Palavra. Os princípios funcionam: como guia, ajudam-nos a permanecer na direção certa; como sentinelas, mantém nossos alvos e objetivos preservados; Como medida padrão, avaliando  o caráter, indicando como e onde estamos. 

Destacaremos três desses princípios:
1-    O  temor a Deus.
“De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque esse é o dever de todo homem”. ( Ecl. 12:13)
O temor a Deus é o começo para  uma jornada abençoada. É  reconhecer o poder e  a supremacia de Deus sobre todas as coisas, povos e nações. Querer subtrair, de Deus, a Sua divindade e a Sua soberania  é atrair para si todo tipo de maldição.  “Como é feliz o povo assim abençoado! Como é feliz o povo cujo Deus é o Senhor” ( Sl. 144:15). O temor a Deus gera filhos abençoados, celeiros cheios, rebanhos multiplicados, o povo vive feliz. ( confira Sl 44:12-14 e Sl. 128). 
 
2-   Aplicar na própria  vida  a Palavra de Deus.
“... Bem aventurados os que trilham caminhos retos e andam na lei do Senhor” ( Sl. 119:1).
Aplicar  a Palavra de Deus na sua integridade resulta em uma pessoa abençoada.  O temor a Deus e a obediência a sua Palavra, são requisitos para o sucesso na vida.  “Ouve, pois, ó Israel, e atenta que os guardes, para que bem te suceda, e muito te multipliques, como te disse o Senhor, Deus te teus pais, na terra que mana leite e mel” ( Dt. 6:3 ). Observe que se trata de uma promessa de bênção  geracional de pais para filhos. 

3-     Fidelidade e  Integridade.
“... Eis o que devem fazer: Falem somente a verdade uns com os outros; julguem retamente em seus tribunais; não  planejem no íntimo o mal contra o seu próximo, e não queiram jurar com falsidade. Porque eu odeio todas essas coisas, declara o Senhor”. ( Zacarias 8:16).

Fidelidade e integridade fazem parte do caráter de Deus. Para os fiéis e íntegros tem a garantia do próprio Deus, de que não precisam correr atrás de bênçãos, pois elas os acompanharão. A bênção não acompanhará: Quem usa de artifícios escusos para conseguir as coisas. Quem não fala a  verdade uns com os outros. Quem  se  compromete com o poder corrupto. O segredo é viver com fidelidade os princípios e honrar os compromissos assumidos.

ONDE DEUS ESTÁ COM A SUA MALDIÇÃO?
 
“...   E a tua vida como suspensa estará diante de ti; e estremecerás de noite e de dia e não crerás na tua própria vida” ( Dt.28:66).

A maldição é a resposta negativa  para quem escolhe o caminho da confrontação aos princípios de Deus.  Precisamos conhecer melhor o caráter santo de Deus. Há duas maneira de Deus responder as nossas ações: as que geram bênçãos e as que geram maldição. Tanto a bênção quanto a maldição acontecem como  resultados de nossas escolhas. Escolhas pessoais ou coletivas.  É a liberdade de usar a inteligência para o bem ou para o mal. Escolher ficar com Deus ou rejeitá-Lo.

Destacaremos duas  principais razões de Deus responder com maldição: 

4. A maldição acompanha os de  coração idólatra
“...Tornem-se como eles aqueles  que  os fazem e todos os que  neles confiam” ( Sl. 115:8).

Um idólatra não é apenas quem idolatra uma estátua de madeira ou pedra, inclui nessa lista, qualquer pessoa ou coisa a que se atribui valor e poder sagrado. Idolatria e tudo o que ocupa o lugar de Deus no coração. 
 Faça um exame do seu próprio coração e responda: Quem me criou?  Em Quem confio em última instancia? De Quem espero a verdade final? Em Quem ou em  que busco a segurança e a felicidade? Quem é a resposta para o meu futuro?
Os quatro primeiros mandamentos da Lei de Moisés ao povo Israel ( êxodo 20:1-5) deixam claro que Deus não reparte a sua divindade. Deus é Criador, Soberano, um Deus Exclusivo e Inclusivo. O Seu amor doador incluiu na Cruz do Seu Filho, todos os pecadores, oportunizando-os a que cheguem ao arrependimento  e remissão de seus pecados.

5. A maldição acompanha os de coração incrédulo.
“...E lhes darei um só coração, e porei dentro deles um novo espírito; e tirarei  o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne, para que andem nos meus estatutos, e guardem as minhas ordenanças e as cumpram; e eles serão o meu povo, e Eu serei o seu Deus.” (Ezeq. 11: 19 – 20)

O coração incrédulo está fechado para a porta da Graça. Torna-se um coração insensível, que não recebe perdão, não perdoa.  O Evangelho transformador não lhe convence. Um coração difícil de ser amado e amar. Um coração sem paz, sem alegria. Um coração incrédulo fechado para receber as promessas de Deus abre portas para maldição. Esse tipo de maldição gera morte espiritual. Examine o texto acima, e se pergunte: "Estou precisando de um novo oração?". "Tenho um coração de pedra?". 
   
REFLETINDO:
" Um dos criminosos que ali estavam dependurados
lançava-lhes  insultos: " Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós".  Mas o outro criminoso que o repreendeu, dizendo: Você não teme a Deus, nem estando soba mesma sentença? Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem.  Mas este homem não cometeu nenhum mal" (Lucas 23:39,40) 

Os dois ladrões, crucificados lado a lado com o Senhor Jesus, representam a nossa condição de pecador. A Cruz do centro, onde Jesus está, separa o pecador arrependido e perdoado, do pecador incrédulo que rejeita o perdão de Deus. O cenário da Cruz nos leva a seguinte pergunta: De que lado da cruz você está?  Você  consegue vê  Deus na Cruz? A sua resposta definirá de que lado da cruz você está. Quem enxerga Deus na Cruz, vê um  Deus amoroso, doador e perdoador. Quem não enxerga Deus na Cruz, vê  um Deus irônico, injusto e ausente.


A Cruz de Cristo rompeu e  cancelou  todo tipo de maldição!  Foi Cristo quem nos redimiu da maldição da Lei quando, a si próprio se tornou maldição em nosso lugar, pois como está escrito: “Maldito todo aquele que for pendurado num madeiro”. ( Gl. 3:13)

Por amor a Cristo!