sábado, 9 de janeiro de 2016

RETRATO DE FAMILIA! O QUE A FAMÍLIA TEM EM COMUM?



“ Família é tudo igual só muda o endereço”Em conversa entre família essa frase é muito citada. Temos que concordar que tem um fundo de verdade. Desenvolver relacionamentos preservando a  individualidade num ambiente coletivo, buscar o equilíbrio dos direitos e deveres, são desafios permanentes de todas as famílias, independentemente da condição social e crença.

A Bíblia não omitiu  os pontos fracos de seus heróis.  Os seus atos de heroísmos, os seus fracassos familiares estão todos registrados. Deus não esconde as consequências de seus erros. Nenhuma família histórica bíblica passou ilesa da correção de Deus. Nenhuma família deixa de ser abençoada, por Deus, quando se arrepende e recomeça a  andar nos trilhos da obediência.

Em vários aspectos muitas famílias dos tempos modernos são parecidas com as famílias dos patriarcas  Vamos destacar alguns desses aspectos que geram muitos conflitos familiares:

1- Família cujos irmãos são de pais ou mães diferentes.
Jacó, a terceira geração dos patriarcas, viveu numa cultura que não havia impedimento para o homem possuir mais de uma esposa. Essa cultura não fora criada por Deus. O Criador, no princípio, criou regras especificas para o homem construir a sua família ( leia Gn. 2:5-25) . Jacó teve duas esposas irmãs, delas gerou filhos. A cultura do mundo não gera solução para a família, gera mais sofrimentos. O ciúme bateu a porta do coração das irmãs, esposas de Jacó. Começaram a disputar o marido  Jacó como se fosse um objeto. A concepção de filhos seria a solução.  Como se não bastasse, entregaram as suas concubinas, para Jacó, numa disputa desesperada de ter o seu amor.  Ao todo, Jacó teve doze  filhos e uma  filha, com quatro mães diferentes (foto).  Os relacionamentos desses irmãos foram conflitantes.  A história se repete em muitas famílias.   A mesma medida que o mundo facilita a união civil,  facilita a separação. Os filhos se tornam objetos descartáveis. Esse é o retrato de muitas famílias.

2 - Família onde os pais demonstram preferência entre os filhos.

Jacó demonstrava  uma especial preferencia pelo filho José. A túnica de José era diferente da dos demais irmãos. A preocupação para com José era desproporcional a dos demais. Preferência gera um ambiente hostil. Ambiente hostil gera ciúmes, invejas e disputas. Nós pais, sabemos o quanto isso é real. Dentro de nós sempre há aquela pontinha de preferência para um dos filhos/as.  Os pais de Jacó passaram por esse mesmo problema. Isaque dava preferência para Esaú, enquanto Rebeca para Jacó. Eram apenas dois filhos, mas havia uma disputa de  preferência.
Os relacionamentos entre irmãos quase causou uma tragédia.   Jacó teve que sair da convivência familiar, isso durou vinte anos;  porque Esaú passou a odiar o seu irmão. Um retrato de família que infelizmente se repete em boa parte das famílias.
 
3 -  Família onde um dos filhos se destaca dentre os demais.

Na família de Jacó o filho José se destacava entre os demais irmãos. José sonhava com coisas altas na vida. Os seus sonhos eram tão reais que conseguia descrever, em detalhes, o seu futuro e de sua família. Jacó via em José um dote especial. Como pai não soube trabalhar isso. Em alguns momentos colocava José contra os seus irmãos ao defende-lo em determinadas situações quotidianas.
Numa família cada membro tem suas peculiaridades. Tem seu chamado pessoal, sua vocação, nenhum é igual ao outro. Uns recebem mais, outros menos; isso vem de Deus. Davi tinha sete irmãos, Deus o ungiu rei de Israel. O desafio é como trabalhar isso na família. Como investir na individualidade dos filhos,  de forma que todos alcancem o seu potencial e sintam-se importantes e amados.
 
4 - Família marcada por feridas profundas  leva  anos para reatar relacionamentos rompidos.


 
A família do patriarca  Isaque passou por esse drama familiar.  A família do patriarca  Jacó foi marcada por feridas profundas.  Os exemplos se repetem na vida de Noé, de Davi e de tantos outros. Na história da humanidade o que mais se repete  são os relacionamentos familiares rompidos.  
Dependendo da gravidade há situações que não são resolvidas, exemplo da família de Adão, Caim assassinou o seu irmão Abel. Absalão assassinou seu meioi rmão Ammon. Outros levam anos, a reconciliação de Jacó e Esaú levou vinte anos (foto).  Jacó teve o seu filho José como devorado por uma fera. Na verdade, foi vendido como escravo por seus irmãos. Uma das histórias mais incríveis da ação de  Deus para reatar os relacionamentos, ha anos rompidos. 
Uma família, por mais detonada que esteja em seus relacionamentos, pode contar com a ação de Deus em seu favor. Para Deus não há relacionamentos rompidos definitivamente. O seu maior exemplo, sacrificar o Seu único Filho para que fossemos reconciliados.  Os casos não resolvidos, ficam na contabilidades daqueles que não buscam a ajuda de Deus. 

 
5 - Família restaurada passa pelo caminho da reconciliação.

Reconciliação  não é atitude dos fracos. É a  atitude mais elevada que uma pessoa alcança na vida.  A reconciliação brota  de um coração arrependido. Reconciliação  é sinalizar ao outro que tudo pode ser diferente. É construir uma ponte nova de relacionamentos.  Reconciliação gera choro, gera perdão, gera abraço, gera recomeço.  Na família e Jacó tudo aconteceu porque José escolheu o caminho da reconciliação.
Um coração duro, orgulhoso, cheio de si mesmo, não conseguirá passar pelo caminho da reconciliação.  Reconciliação  é a porta de entrada para Deus agir. Você não precisa estar errado para se arrepender. José tinha motivos para se arrepender?  Como parte da família, considerou o fato de que contribuiu para que os seus irmãos tivessem ciúmes, inveja, dele.  Isso é o suficiente para se arrepender. José entendeu que o seu pai, Jacó, o protegia, dando-lhe melhor capa,   uma provocação velada aos seus irmãos, que recebiam como rejeição. Não é o suficiente para o arrependimento? Sim! Sua atitude de humildade, abrindo mão de seus dotes e fama,   trouxe de volta a paz familiar. É tudo que uma família, marcada por profundas feridas, precisa para reatar relacionamentos rompidos.

REFLETINDO:    

O que todas famílias tem em comum é que todas  precisam da ajuda de Deus. Nenhuma família está ilesa por passar por um situação de crise.
José entendeu, que apesar de tudo o que aconteceu, Deus tinha um plano de salvação para sua família.  Deus, como Pai, usou o Seu filho Jesus, estrategicamente para salvar  as famílias da terra. Jesus foi vendido, foi preso, humilhado, traído, condenado e morto, em uma cruz.  Para ser a ponte de reconciliação. Para Jesus, não há causa perdida. Reflita sobre isso! Coloque sua família  no altar do Senhor. Use essa figura ( ao lado ) como se essas palavras brotassem do seu próprio coração.

Por amor a Cristo!