sábado, 20 de fevereiro de 2016

O QUE O MUNDO MAIS PRECISA: DE JUSTIÇA SOCIAL JUSTA OU DE UMA JUSTIÇA INTEGRAL JUSTA?!



“... Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a Lei do Senhor, e para cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus direitos” ( Esdras 7:10).


O tema proposto nasceu  de um experimento  numa sala de aula. Leia com atenção a parte I - dessa reflexão.  Em seguida, vamos buscar  juntos  uma resposta, à Luz da Bíblia, da pergunta: “O Que o Mundo Precisa: De Justiça Social ou De uma Justiça Justa?”. 


Parte I – Experimento de um Professor Numa Sala de Aula.


“Um professor de Economia em uma Universidade Americana realizou um inédito experimento entre seus alunos.  Tudo começou quando os alunos defendiam o sistema socialista, alegando que realmente funcionava com um governo assistencialista intermediando a riqueza. Ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.
 Então o professor sem provocar nenhum questionamento, convidou a classe a fazer um experimento. Ao invés de dinheiro, seriam utilizadas as notas dos próprios alunos. Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto, seriam  “justas”  na concepção socialista.  Todos receberiam  as  mesmas notas que garantiam a aprovação de todos. Por outro lado, ninguém receberia uma nota  “10”. Após calculada a nota da primeira prova todos receberam a nota “7”. Quem estudou com dedicação  ficou indignados, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado. 
Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer maneira.  Já os alunos que tinham estudado bastante na primeira prova resolveram entrar na onda do trem da alegria, receber notas sem esforço. Como resultado, a segunda média foi “4” . Ninguém gostou.  Depois da 3ª.  prova, a média foi “1”. As notas não foram recuperadas e toda classe reprovou. As desavenças entre alunos, a busca por culpados e palavrões passaram a fazer parte  da atmosfera das aulas daquela classe. 
Aquele senso de justiça que defendiam no sistema socialista acabou sendo reivindicada pelos alunos prejudicados. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala.  Portanto, as consequências recaíram  sobre toda classe.  

O professor fez a seguinte conclusão: “O experimento socialista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande. Mas quando um sistema politico elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros para dar aos que  batalham por elas, então ninguém mais vai tentar ou querer fazer o seu melhor.  Os exemplos estão à vista,  de países que adotaram ou adotam a prática socialista ( citou alguns países: Cuba, Venezuela, Argentina e Brasil) ”.

O Professor ao fazer  as  suas argumentações, apresentou aos  alunos  cinco razões porque o experimento resultou  em  uma prática injusta. Porque  penalizou os que se  esforçaram  e demonstraram maior QI de  inteligência, para favorecer um grupo de alunos desinteressados:

1-      Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico.
2-      Para cada um recebendo sem ter que trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber.

3-      O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tirado de outra pessoa.

4-      Ao contrário do conhecimento, é impossível  multiplicar a riqueza tentando dividi-la.

5-    Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar  para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.

2.  Estamos diante de uma realidade global. Alunos como esses, em todo mundo, estão buscando uma alternativa: banir a gritante desigualdade social e  de uma justiça injustas. 


A Luz da Bíblia, como os cristãos devem se posicionar diante das  inquietações de uma geração que busca desesperadamente por uma justiça social justa?

Para tentar respondê-la vamos começar fazendo uma outra pergunta:  O que o mundo mais  precisa: de Justiça Social justa ou Uma Justiça Integral  Justa?  Nosso compromisso não está em  buscar uma resposta olhando para a necessidade humana;  mas à Luz da Bíblia,  entendermos porque o mundo está na condição que está?  Para desatar esse nó precisamos  ir onde tudo começou, Capítulo 3 de  Gênesis. Foi nesse ponto da história humana onde tudo começou. Com o passar do tempo tudo se agravou a cada geração que passa. Deus decretou uma maldição sobre a terra e sobre o homem:   “Maldita é a terra por sua causa ( Adão); com sofrimento você se alimentará dela
( terra) todos os dias da sua vida” ( Gn. 3:17). Ninguém pode mudar isso. Nenhuma forma de governo mudará isso. Uma Justiça social justa não haverá em nenhum regime nesse planeta terra, enquanto o homem durar. Alguém sempre será prejudicado. Alguém  recebe algo enquanto outro alguém está pagando por esse algo. É a compensação do débito e do crédito.

Deus, pelo seu compromisso com o ser que criou, por ser um Deus de amor e compassivo, desenvolveu um "experimento" na terra, formando um povo que teria toda uma estrutura capaz de praticar uma justiça social justa. Esse povo foi chamado de Nação de Israel. Deus estabeleceu padrões que resultariam em  justiça social justa. Não haveria miséria entre o povo, não haveria epidemias e pragas. Não haveria guerras nem disputas. Deus criou o ano sabático. A cada sete anos as dívidas seriam perdoadas.  Haveria só um Líder  e um só Sacerdote. Um governo Teocrático. A Nação de Israel recusou esse modelo.  Exigiu um modelo de governo parecido com o do mundo. Deus atendeu o pedido deles. Retornaram ao estado original de Gênesis cap. 3.  Uma Nação que Deus planejou a ser o modelo de justiça social, passou a ser alvo de vergonha e servir como escravos.

Deus, pelo seu compromisso com o ser que criou e por ser um Deus de amor e compassivo, desenvolveu outro "experimento" na terra. Agora, não mais no formato do primeiro experimento, de criar uma nação física.  Mas de   estabelecer o  Seu próprio Reino, de característica espiritual, que não possuísse nenhum vinculo ou semelhança dos sistemas vigentes na terra.  Para estabelecer o Seu Reino, designou o seu próprio e Único Filho, Jesus Cristo, para ser o implantador e herdeiro desse Reino. O Cristianismo, centrado em Cristo Jesus, é a única porta de acesso a esse Reino.

O Senhor Jesus preparou uma equipe de Apóstolos e discípulos, exaustivamente instruídos e preparados,  para expandiram sobre toda a terra  o Seu Reino ( Mt. 28:19,20).   Deixou princípios e os ensinou a  viver e praticar uma  Justiça  Social Justa.  Mesmo  tendo que andar  na contra mão do mundo.  A base Bíblica para se praticar o  Cristianismo, com Justiça Social Justa, está no Sermão do Monte, ministrado pelo Senhor Jesus, registrado em Mateus caps 5 a 7. O Senhor  Jesus ensina como "sair para fora", ou seja, não viver os padrões do mundo, como compartilhar o pão com os  pobres, como ser fiéis mordomos, como tornar uma sociedade justa.  
A Igreja local, as comunidades cristãs, necessariamente, deve ser modelo para o mundo de que é possível viver uma justiça social  justa. Os diáconos foram instituídos na igreja local para atender as demandas dos necessitados, dos órfãos e das viúvas desamparadas. Como igreja, temos feito isso?  Se não conseguimos, como ousaremos cobrar dos não cristãos uma Justiça Integral Justa?
Se não conseguirmos praticar em nossos ambientes chamados cristãos, que contribuição daremos se, um de nós,  se candidatar a prefeito da cidade ou pleitear um lugar no parlamento? 

Reflexão:

O Reino de Deus, de pessoas salvas e comprometidas com a fé cristã, é o único modelo capaz de praticar Justiça Social Justa. Praticar uma  Justiça Integral  Justa num mundo injusto e perverso torna-se  missão para gigantes da fé.  Mas movido por um espírito justo e compassivo, o cristão com ações motivadas pelo amor, tudo pode, tudo suporta, tudo faz. 
É por amor que o Reino de Deus se apresenta através de missionários que se espalham pelo mundo. De empresários e  profissionais  cristãos que se unem para levar saúde, medicamentos, alimentos, e um pouco de amor, a pessoas que vivem desesperadamente aguardando um gesto de compaixão. É um gesto solidário nas madrugadas para levar algo ao faminto. É se doar a si próprio,  para o Senhor a  nobreza está na motivação porque fazemos e não no  tamanho da oferta que damos. 
Qualquer cristão, seja por motivos de não concordar com as mazelas dos gestores públicos e resolveu não assumir suas responsabilidades, seja pelo motivo de viver uma fé pelo menor esforço, está contribuindo  por um mundo cada vez mais injusto. Como o exemplo dos alunos da classe,  todos receberam as notas iguais. As mesmas consequências. Na vida cristã não haverá recompensa do menor esforço. Quem enterrar o seu talento, prestará contas a Deus. Isso é estar diante de um Deus Santo e Justo!   
A Bíblia diz que o cristão que retroceder, na sua fé, o Senhor não terá prazer nele. 'E viver o  retorno de Gênesis 3. Deus não fará um outro experimento. O Seu Reino não terá volta. Um experimento vitorioso. Não tenha uma mente socialista, tenha a mente de Cristo! Amem!

 Por amor a Cristo!