sábado, 17 de setembro de 2016

ELEIÇÕES - A AUTOPROMOÇÃO IMPRESSIONA, MAS DECEPCIONA!



"...O Senhor, contudo, disse a Samuel: " Não considere sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei. O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração"
 I Sm. 16:7)  
Nosso país está em pleno curso eleitoral, meio a turbulências na politica, na economia, desestabilização social, por conta de sucessivas decepções de postulantes de cargos públicos. Em meio a esse ambiente deplorável, o povo brasileiro escolherá os seus representantes para prefeitos e legisladores  municipais. 
Como cidadãos cristãos chegou a hora de exercermos uma cidadania com responsabilidade e compromisso de transformação. Você ao escolher o seu representante para ser o seu  legislador e cuidar de sua cidade, esteja atento não só o curriculum do candidato, acrescente a isso,  a sua conduta moral, seu compromisso com a família, seu compromisso com Deus. 
A bíblia é a constituição do cristão. Nela, encontramos princípios para toda prática e conduta  que devem nortear nossos projetos de vida. A Bíblia trás em seus anais históricos condutas de autoridades politicas que  deixaram marcas negativas e positivas. Nesse momento de eleições vamos compartilhar alguns desses personagens para nos ajudar em nossas escolhas.

1- A Autopromoção Impressiona, Mais Decepciona.
"... Será que vocês agiram de fato com sinceridade quando fizeram Abimeleque rei? 
 (Juízes 9:16)
- A  Bíblia registra a história de Abimeleque, um filho bastardo de Gideão, que foi um grande Juiz de Israel.  Pela sucessão normal  seria quase impossível chegar a ser o sucessor do seu pai. O que fez? Matou todos os seus irmãos, se apresentou como sendo o melhor para ser o Juiz de seu povo. A primeira vista um candidato ideal, talentoso, valente, bom comunicador, lutador pelos seus sonhos. Entretanto, escondia no seu coração vingança, desafeto, ambicioso desejo pelo poder. Sua ambição pelo domínio, levou-o não só a destruir os seus  irmãos, essa sua saga de vingança, destruiu muitas vidas inocentes. A autopromoção pode funcionar a curto prazo, a longo prazo, ela fracassará. Autopromoção é sinônimo de autodestruição. Esse Juiz que impressionou o povo com a sua autopromoção teve o seu fim trágico; morto por uma mulher que lançou um objeto em sua cabeça quebrando o seu crânio.( confira Juízes 9:50-57).
Há muitos candidatos que impressiona  pelas suas biografias e autopromoção. Mas se tornam desqualificados para a função em servir o povo, por trazer no coração o espírito de ódio, de revanche, divisão e vingança.

-  A Bíblia  registra a história do primeiro rei de Israel, Saul. As primeiras impressões podem ser enganosas. Possuía uma aparência invejável, privilegiado; foi escolhido, rei, pelo próprio Deus. Na verdade, Saul, teve uma promoção do auto, mas decepcionou.  Suas habilidades não combinavam com a sua aparência. Impulsivo, ultrapassava os limites. No seu interior alojava uma pessoa pequena, um coração ciumento e invejoso. Influenciado pelos seus comandados. Tornou inimigo de Davi, o melhor amigo do seu filho e leal a ele. Teve tudo para ter uma carreira política bem sucedida. Não conseguiu concluir o tempo do seu reinado,  teve um final de um político fracassado. Não seguia as orientações de Deus.  A lição que Saul nos deixa é extensiva a todas as nossas ações: a obediência sempre envolve sacrifício, mas sacrifício nem sempre envolve obediência. Tem muitos políticos, lideres religiosos, que fazem muitos sacrifícios, entretanto, perdem sua intimidade com Deus, perdem a família, perdem os seus elementares  valores de vida.
Há muitos candidatos que impressionam pela aparência. Mas se tornam desqualificados para a função em servir o povo, por ter  espírito pequenez,  ciumento, invejoso e sem intimidade com Deus.

- A Bíblia registra a história de um político que se tornou o modelo bíblico para governar, o rei Davi.  A exemplo de Saul, foi promovido por Deus. Antes de assumir o reinado de Israel, seu caráter passou por muitas provas. Uma dessas provas, quando teve a oportunidade clara em matar o seu   inimigo, Saul, não o fez, nem permitiu que seus comandados o tocassem ( I Sm 24). Quando dividia os despojos de guerra, igualmente dividia a todos, independente dos que iam a guerra e os que ficavam na logística. Um rei que valorizava as parcerias. Valorizava as pessoas dando-lhes oportunidades para desenvolverem suas habilidades. Em tudo que fazia colocava Deus à frente de suas batalhas. Conciliou os dois exércitos que estavam divididos.  Trouxe para sua mesa um dos netos de Saul. Uniu toda a nação em  um grande projeto nacional. Quando o político é promovido por Deus, as suas ações é de um estrategista que busca unidade e serve a todos com o mesmo coração.
Ainda há candidatos que são promovidos por Deus. Suas trajetórias de vida politica digna de respeito e admiração. As suas ações falam por si. São conciliadores, unem o povo por um só projeto de cidade e legisla para todos. Esses merecem a nossa confiança e o nosso voto.

2- A Autopromoção, um atestado para destruição -  A Promoção do alto, um atestado para
     ser bem sucedido.
".. Ele tinha êxito em tudo que fazia, pois o Senhor estava com ele." ( I Sm. 18:14)
Desejar o poder é um desejo legítimo. A questão não está no desejo, mas na motivação alimentada por um coração egoísta, autoritário e profano. A ambição do poder a qualquer custo, além de destruir a si próprio, atinge toda uma comunidade. A família é atingida, o casamento é atingido, a intimidade com Deus é severamente atingida. 
A promoção do alto é um processo que demanda tempo, qualificação e dependência de Deus. Davi tornou-se o modelo bíblico de um politico aprovado, porque não cometeu nenhum ato de traição, não assassinou ninguém para encurtar o caminho do poder. Passou por momentos de fraquezas, manchando o seu currículo, que causaram grandes prejuízos para sua vida, reino e família. Teve humildade para admitir seus erros, confessou-os,  arrependeu-se e  recebeu o perdão de Deus. 
Muitos políticos arruínam suas vidas, suas famílias e suas comunidades, por não reconhecerem seus erros. Os seus erros estão estampados a "Olhos nus", através de seus atos ilícitos, a forma como tratam suas famílias e  como se relacionam com Deus. 

REFLETINDO:

"... Sem diretrizes a nação cai; o que a salva é ter muitos conselheiros" ( Pv.. 11:14)

Chegou a hora de cada cristão exercer a soberania do alto. A sua cidade será melhor dirigida  se você seguir as orientações que a Bíblia fartamente coloca a sua disposição. A sua cidade terá melhores Legisladores se você seguir os conselhos do Soberano Legislador. Jejue, ore, peça sabedoria do alto e dê um voto consciente e responsável. 

Chegou a hora da pitadinha de sal e da pequenina luz, renovar esperança de um Brasil colosso, através de ações conscientes dos milhões de cristãos espalhados em todos os cantos desse país. Amem!

Se você concorda  que essa reflexão é pertinente;  e todos nós,  cristãos,  podemos ser essa pitadinha de sal e essa pequena luz; então, compartilhe essa ideia. Multiplique! Faça brilhar a sua pequena luz, dê sabor com o seu sal!
Por amor a Cristo!