sábado, 1 de outubro de 2016

CASAMENTO - NÃO TERMINA COMO COMEÇA!


As mudanças fazem parte de um mundo em permanente movimento. A vida segue o seu curso para cumprir o destino pelo qual todos nós fomos criados. Ninguém nesta vida termina do mesmo jeito que começa.  O casamento não é diferente  não termina da forma como iniciou no altar. As mudanças quando positivas tornam os sonhos em realizações a vida cumpre o seu papel. Como casal estamos vivendo quatro décadas de casados; uma trajetória  que possibilitou muitas experiencias que vão se agregando como lições de vida que passam para as próximas gerações.  Certamente muitos dos casais leitores vão se identificar com algumas dessas experiências. Temos aprendido que em vários  aspectos o casamento não termina  da forma como começou. Vamos dar alguns exemplos:


1-  O Casamento não Termina  da forma Como Começa.
Depois que os anos vão se passando muitos eventos vão se tornando realidade. Se numa cerimônia de casamento o celebrante declarar: "o casamento de vocês  não vai terminar da forma como vocês estão começando", não teria nenhuma importância para eles naquele momento tão feliz da vida. Há quarenta anos atrás sonhávamos com muitas coisas: ter filhos e muitos netos; possuir bens e  uma boa vida para curtir a velhice. O tempo passou, vieram os filhos cresceram, se formaram, se casaram, os netos estão chegando. Adquirimos bens e estamos curtindo bem a vida. Podemos afirmar, com gratidão a Deus,  que  nosso final está bem melhor do que  quando começamos. Assim,  deveria ser o roteiro normal de um casamento planejado por Deus.
Nem para todos os casais as coisas se tornam tão óbvias assim. Infelizmente as estatísticas apontam uma triste realidade. Infelizmente muitos casamentos não terminam como começam, contabilizando frustrações em suas realizações pessoais. Em meio ao caminho acabam, como: " fontes sem águas, nuvens levadas pela força do vento..."( 2 Pedro 2:17). Seguramente esse não é o propósito de Deus para o casamento. 

2. O Casamento Não termina Com a  Pessoa Como Começou.
O casamento não termina com a pessoa como começou, no seguinte sentido: os traços físicos mudam, o envelhecimento faz parte da vida. O vigor físico da juventude  não é o mesmo. A impetuosidade temperamental da juventude  vai dando lugar a um comportamento de mais tolerância e compreensão. O amor paixão vai dando  lugar ao amor doador e compartilhado. Os valores pessoais vão dando lugar aos valores coletivos, familiares. Quando o casal  acompanha essas mudanças, os anos serão aliados para a colheita dos sonhos. Mas quando não vivem essas mudanças naturais muitos  acabam mudando de casamento. Não é esse o propósito de Deus. Deus adverte quem assim procede:  "... portanto, guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja desleal para com a mulher da sua mocidade" Mal.2:14). A pessoa com quem você se casou está em mudança. O que não muda é a lealdade. Sem dúvida esta é a  maior demonstração de amor quando se envelhecem juntos. Seja na saúde e na doença, na fartura e na pobreza. 


3. O Casamento se Fortalece  Quando se Adapta as Mudanças.
Os votos sagrados do casamento são ingredientes para romper a barreira do tempo e fortalecer as relações. Os votos são compromissos assumidos que devem ser honrados. A renovação de votos faz parte desses compromissos assumidos. Votos imaturos e irresponsáveis são ingredientes negativos que enfraquecem  as relações. Precisamos distinguir votos comprometidos de votos comprometedores. Votos comprometidos no sentido de ser leal a uma causa que abraçou. Uma aliança que não se desfaz, dedicação incondicional. O voto comprometedor é desleal, não há um espírito de doação e dedicação ao outro. Adaptar as mudanças inclui os desgastes físicos, emocionais que a vida nos reserva.    

4. O  Casamento  sempre contará com  a intervenção divina em tempos de crise.    
Nada é impossível para Deus. Por mais desestruturado que seja o casamento, por mais imaturo que seja o casal, ainda assim, não são motivos para decretar o fim de um casamento. O primeiro milagre do Senhor Jesus  foi para salvar o casamento, e não, transformar água em vinho. Não teria nenhum sentido o Senhor Jesus embebedar o povo com um bom vinho numa festa de casamento. Na cultura judaica o vinho era imprescindível nas bodas de casamento; se faltasse o vinho seria uma desconsideração aos convidados. Isso repercutiria, negativamente,  na vida do casal junto à comunidade. Se Jesus transformou água em vinho para salvar um casamento o que não faria com um casamento em crise? Siga as instruções do maior especialista em aconselhar casal, Jesus!

5. O casamento não termina no quantitativo que começou.
O quantitativo a que referimos  abrange todos os aspectos da vida.  A matemática de Deus para o   casamento está em Gn.2: 28 "frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra....".   Se cada família levantar a sua árvore genealógica ficará surpresa com o tamanho da árvore. Quando um casamento é interrompido, o galho é cortado da árvore e impede o crescimento geracional. Como presente dos 40 anos de casados nossos filhos nos presentearam com um lindo quadro genealógico. Surpreendeu-nos em ver um começo  de apenas dois jovens sonhadores, se  multiplicando em vários galhos frutíferos. Três filhos que nos deram duas noras e um genro e quatro netos. Esse quantitativo se multiplicou em bênçãos financeiras, espirituais, intelectual e geracional.

6. O Casamento é Uma Escola Vivencial Onde a Prática se Aprende Na Própria Família.
Não existe uma escola formal para qualificar  maridos e esposas para o casamento. O que há são cursos, seminários  e aconselhamentos, que não qualificam suficientemente os jovens para tão árdua e complexa tarefa. A família é a principal  referencia de transferência nessa formação. Quando a família está estruturada, firmada em princípios bíblicos, os filhos absolvem exemplos positivos. Infelizmente as famílias passam por crises estruturais sem precedentes. Boa parte dos jovens não acreditam na instituição casamento pelos maus exemplos dos pais e avós.  

REFLETINDO:
"... Então o Senhor Deus declarou: "Não é bom que o homem esteja só,; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda"
( Gn. 2:18)
O casamento é a mais bela instituição criada por Deus. É uma parceria onde Deus é o principal avalista. Uma aliança entre um homem e uma mulher, que se identificam com ideais e sonhos, que se tornam em realizações, que se multiplicam em gerações. Por ser tão importante, o casamento é alvo permanente, de Satanás. Divórcios, separações, conflitos, são intromissões, de Satanás, para destruir a instituição Família. Deus continua com o seu projeto original quando criou o homem e a mulher ( Gn.2:18 ). O homem e a mulher ao seguirem os fundamentos originais da criação, estarão garantindo a bênção, o cuidado e a proteção de Deus. É um ato de fé, de obediência e de seguir as instruções. Amem!
Por amor a Cristo!