sábado, 15 de outubro de 2016

LIBERDADE FINANCEIRA - UMA QUESTÃO DE ESCOLHA!


Em tudo na vida as escolhas são determinantes para o tipo de vida que queremos.  Em outra reflexão compartilhamos que a Escravidão Financeira - Uma Questão de Escolhas. Nessa reflexão vamos compartilhar que Liberdade Financeira – Uma Questão de Escolhas. São caminhos opostos que mudam a nossa vida.  A pergunta chave é: Como fazer bom uso da liberdade? A luz da Bíblia resposta é não se sujeitar ao sistema do mundo nem se submeter aos impulsos da carne, 
Vamos construir esse padrão bíblico:
l. Escolher Semear Seguindo Princípio da Lei da Semeadura.
“... mas as sementes que caíram em terra boa produziram na base de cem, de sessenta e trinta grãos por um ”( Mt. 13:8 ).
O princípio da semeadura é universal. Exigirá na vida de cada pessoa: Conhecimento, Habilidade e Atitude.  (1) O Conhecimento - Conhecer a si próprio. Os traços de sua personalidade, os seus valores e a sua crença.  (2) Habilidade -  qualificar-se naquilo que tem de melhor: os seus dons e talentos.(3)  Atitude – semear, diligentemente, consistentemente, investindo o seu melhor na própria vida. O princípio da Lei da Semeadura é extraordinário porque  faz uma conexão com a eternidade. Essa  conexão só fará sentido  quando entendermos que o homem é um ser criado a semelhança de Deus. Um ser que possui: espirito, alma e corpo.  Daí a importância do conhecimento de si mesmo. O princípio da semeadura inclui a eternidade. A liberdade financeira é sustentada por esse tripé: conhecimento, habilidade e atitude (lembre-se da palavra cha).

2. Escolher Viver o Plano de Colheita de Deus.
“...   Frutificai, multiplicai-vos, enchei a terra, e sujeitai-a” ( Gn. 1:27,28)
O Deus que criou a Lei da Semeadura desenvolveu um plano de colheita. O plano de colheita de Deus abrange quatro aspectos: (1) Frutificar – Cada pessoa  possui um solo de vida fértil com  capacidade de produzir. (2) Multiplicar –  o processo de multiplicar está associado  a habilidades pessoais. A estagnação não faz parte da vida humana. (3) Encher – nascemos com capacidade para crescimento. Potencializar o que somos é o plano mais eficaz para encher os celeiros da nossa vida. (4) Sujeitar – não permitir que o sucesso tome conta do coração a ponto de virar as costas para Deus. Saber desfrutar de uma plena liberdade financeira está conectada com essa recomendação: sujeitai-a. Não se trata de uma liberdade irresponsável, mas comprometida com os valores e os padrões bíblicos.  

3. Escolher Usar Bem o Tempo.
“... Tudo tem o seu tempo determinado...” ( Ecl. 3:1)
O tempo trabalha a favor do diligente, mas o seu custo é alto para o negligente. Quem desperdiça uma oportunidade, em um determinado tempo da vida,  não terá de volta nem a  oportunidade, nem o  tempo desperdiçado. Quem desperdiça o tempo tentando viver uma boa vida no tempo da semeadura, não colherá uma vida boa no tempo da colheita. O futuro é uma porta que se abrirá para o presente diligente, e se fechará, para o passado negligente. Ou seja, o que você está fazendo com o seu presente,  determinará se a porta do futuro se abrirá, ou não, para lhe acolher. O mal uso da liberdade do tempo tem encurtado o destino promissor de milhares de pessoas. Esse não é o propósito de Deus.

4. Escolher Olhar o Futuro com Otimismo.
“... Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus”
( Lc. 9.62)
O simbolismo “lançar mão do arado e olhar para trás” é muito significativo para quem vê o seu  futuro  com um  olhar otimista. O “arado” simboliza a própria vida. Quem vive preso ao passado não chega a lugar nenhum. O estar “apto” simboliza  aperfeiçoar as habilidades. Potencializar tudo que o Senhor nos dá de talentos e dons. A vida não  é uma jornada para desqualificados. Passei pela experiência: “lançar mão do arado”. Para mim fica fácil entender o que  o Senhor Jesus quer nos dizer com o princípio do arado. É impossível ver o futuro com otimismo com olhar preso ao  passado. 

5. Escolher Honrar a Deus Com  o  Melhor.
“...  Honrar ao Senhor com a tua fazenda e com as primícias de toda a tua renda”
( Pv. 3:9)
Escolher honrar a Deus com o melhor é reconhecer a Sua Soberania como provedor da vida. Honrar a Deus com nosso melhor vai além da fidelidade dos dízimos, sermos generosos nas nossas ofertas. É honrar com a nossa própria vida. O nível de relacionamento com Deus está intimamente ligado da forma como é administrado o dinheiro. A liberdade financeira está ligada a não submetermos a escravidão à Mamom.  O crente precisa entender  que é  um mordomo  de Deus, como tal, precisa se qualificar para ser um mordomo fiel.           

6. Escolher Semear no Campo da Fé  Impossível.
                                                                      ”... Sem fé é impossível agradar a Deus..."( Hb.11:6.a)
O campo da fé impossível contraria todas as impossibilidades e  lógica humana.  Alguns exemplos: Sara gerou  um filho aos noventa anos. O profeta Elizeu multiplicou  o azeite da viúva para não entregar os filhos aos credores. Davi derrotou  um Gigante com uma pedra. Jesus transformou água em vinho. Jorge Müller presenciou muitos milagres de provisão.  Semear o Evangelho de Jesus Cristo é semear no Campo da fé impossível. A Bíblia diz que uma alma salva  vale mais que o mundo inteiro. Quem escolhe investir o seu dinheiro no Reino de Deus está semeando no campo da fé impossível.

 REFLETINDO: (  Depoimento de Jorge Müller  e esposa)
                                 
  ”... Não devam  nada a ninguém a não ser o amor...." ( Rm 13:8a.)

"Minha  esposa e eu nunca estramos em dívidas porque acreditávamos que era contrário às Escrituras (Rm 13:8). Por isso, nunca tivemos contas para o futuro com alfaiate, açougue,, padaria ou mercado. Pagamos por tudo em dinheiro. Preferimos passar necessidade do que entrar em dívidas. Desta forma, sempre sabemos quanto temos e quanto podemos dar aos outros. Muitas provações  vêm sobre os filhos de Deus por não agirem de acordo com Romanos 13.8. Eu poderia comprar um bom estoque de mantimentos no crediário, mas da próxima  vez que estivéssemos em necessidade, eu usaria o crediário novamente, ao invés de buscar o Senhor. A fé, que somente se mantém e se fortalece através de exercitar, ficaria mais e mais fraca. No fim, provavelmente acabaria atolado em grandes dívidas, sem perspectiva de sair delas. A fé se apoia na Palavra Escrita de Deus, mas não temos nenhuma promessa de que ele pagará nossas dívidas. A Palavra diz: "A ninguém fiqueis devendo coisa alguma"( Rm 13:8), e  "'Quem nele crer não será de modo algum envergonhado" ( I Pe 2:6) .Não temos nenhuma base bíblica para entrar em dívidas.  Nosso alvo é mostrar ao mundo e à igreja que mesmo nestes dias maus do tempo do fim, Deus esta pronto para ajudar, consolar, e responder às orações daqueles que confiam nele. Não precisamos recorrer a outras pessoas, nem seguir os caminhos do mundo. Deus tanto é poderoso, como desejoso, de suprir todas necessidades no seu serviço"( extraído)  


"Senhor, preciso viver essa fé. Ajuda-me!"

Por amor a Cristo!