sábado, 29 de abril de 2017

FAMÍLIA, MINHA PRIORIDADE!

Entramos na semana do mês de Maio, vamos refletir  alguns temas sobre família. Nosso primeiro tema: Família, Minha Prioridade.  A família por mais que seja alvo de destruição tem a garantia da proteção Divina. O que mais pesa, negativamente, é o fato que a família deixou de ser prioridade. A busca desenfreada de conquistas pessoais, agenda cheia por conta de negócios inadiáveis, e o afastamento  de Deus, são fatores preponderantes que colocam a família num plano secundário. Por acreditar que família é um projeto de Deus e que não está em extinção, permanecemos firmes no propósito em lutar pelos valores da família. Entre os valores em baixa destacaremos:

1. O Valor da reprodução.   
"... Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á a sua mulher, e serão ambos uma só carne... e Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos..."( Gn 2.24;1:28) 
A reprodução humana tem um diferencial de todas as demais reproduções da criação. Impossível alterar a essência  do que Deus criou. A ciência altera a genética dentro da própria espécie, mas impossível alterar  a genética de uma espécie para outra. A reprodução humana foi instituída por Deus obedecendo um processo inviolável  de uma união entre  um homem e uma mulher. A responsabilidade dessa reprodução  é de plena responsabilidade dos parceiros que decidem procriar. Não se trata de uma procriação qualquer. São filhos que vão gerar outros filhos, que devem seguir o mesmo critério de responsabilidade. Infelizmente esses critérios éticos estão degenerados. Os resultados assombrosos são visíveis. Filhos sem pais, gerando outros filhos sem pais; gerando desequilíbrio social, moral e espiritual.  A degeneração familiar vem causando colapso social, muros intransponíveis nos relacionamentos, outro valor   negligenciado que destacaremos a seguir.

2. O Valor dos relacionamentos.
A família foi planejada por Deus para viver relacionamentos duradouros entre gerações. Quando o padrão de criação não segue o padrão de Deus é inevitável rupturas nos relacionamentos. Tudo começa no casamento. Quando o casamento não segue o padrão  divino, quando filhos são gerados em circunstâncias indesejáveis, não planejados em amor,  há grande possibilidade  de se sentirem rejeitados, não amados, causando prejuízos emocionais e insegurança de lutar pela vida. O agravamento se dá quando o divórcio atinge um casal. Se há nessa relação rompida, filhos, as consequências serão catastróficas, Os relacionamentos, na maioria dos casos, sofrem rupturas  devastadoras, entre filhos e pais. As cicatrizes seguem pela vida toda; se não tratadas, as feridas emocionais podem comprometer o casamento desses filhos, a carreira profissional e nos relacionamentos interpessoais. O valor da confiança mutua é perdida.  A boa noticia, o poder restaurador do Senhor Deus, quando invocado restabelecerá relacionamentos rompidos. Se você passa por esse vale, entregue ao Senhor Jesus o seu fardo. Somente Ele é capaz de trocar o seu fardo por um fardo leve que lhe devolverá a alegria de viver.

3- O valor da bênção.
"... Para que nossos filhos sejam, como plantas, bem desenvolvidas na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquina lavradas, como colunas de um palácio"( Sl. 144:12) 
A bênção é um valor precioso que está disponível a todos as pessoas. Abençoar tem o sentido de liberar à  prosperar. Muitos pais, por desconhecerem esse valor, acabam retendo bênçãos em períodos importantes da vida, dos filhos. Bênçãos que farão falta na vida adulta. A bênção fazia parte da cultura hebraica. Jacó, antes de morrer  profeticamente abençoou cada um de seus filhos e gerações. ( Gênesis 49). Abençoar não tem limite de idade e de tempo. Muitos pais entendendo o valor da bênção abençoam filhos que já são até casados, abençoam os filhos dos filhos.  
Enquanto escrevo, farei uma pausa, (...) para participar de uma cerimônia, onde os pais prepararam um momento especial para abençoar o filho, de dezoito anos. Uma passagem simbólica, para ser um homem adulto e  assumir as suas responsabilidades. Fizemos isso com nossa filha quando também completou 18 anos. O ato simbólico  representa um divisor na vida do jovem, os efeitos são imediatos e extraordinários pela vida toda. 

4- O valor do Legado.  
"... E tu, meu filho Salomão, conhece o Deus de teu pai e serve-o com um coração perfeito e com uma alma voluntária..." ( 1 Cr.28:9.a.)
O legado é a principal herança que nós, pais, deixaremos para as nossas futuras  gerações. A cultura do mundo é deixar heranças patrimoniais. Não é errado, também é cultura bíblica, desde que invistamos  em valores, que farão dos herdeiros,  pessoas sábias para fazerem bom uso daquilo que entregamos em suas mãos. O Filósofo Sócrates pensou sobre isso quando, disse: "Se eu pudesse subir ao lugar mais alto de Atenas, ergueria minha voz e diria: o que pensais, meus concidadãos, quando dizeis que fazeis de tudo para garimpar riquezas e tomais tão pouco cuidado de vossos filhos, a quem um dia entregareis tudo?". A Palavra de Deus sobressai a todas as  palavras, dá a seguinte  instrução: "Instrua a criança segundo os objetivos a que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles"( Pv 22:6). Como cristãos o nosso manual é a Palavra de Deus. É nela que vamos construir legados  segundo o propósito de Deus para nossas famílias. O legado da fé deve merecer a nossa prioridade, pelas razões que vamos abordar no item a  seguir.

5- O Valor da Fé Geracional.
"...Pela fé, Isaque abençoou Jacó e Esaú, no tocante as coisas futuras"( Hb. 11"20).
A pergunta que nós, pais,  precisamos responder: " Nossos filhos  seguirão os passos de quem?. A quem caberá dar direção para que o filho(s) tenha uma visão de futuro?  A cada geração que passa há um enfraquecimento na fé. Os pais estão terceirizando a fé de seus filhos. Quando muito, deixam os filhos à porta da igreja e vão para outras atividades. Outros, nem isso fazem. O que esperar dos filhos quando se tornarem adolescentes? Quando ingressarem na Universidade? As estatísticas demonstram que cerca de 70% abandonam a fé cristã, o principal legado dos pais criatãos. Uma fé consistente se constrói com ações vivenciais, aliada com o  ensino criterioso da Palavra de Deus. Um trabalho artesanal que lapida o caráter, desenvolve a piedade, a solidariedade  ao sofrimento do próximo. O produto final, gerar uma fé do Temor a Deus,  o princípio de toda sabedoria. Se nós, pais, estamos empenhados em conduzir nossos filhos, aos Céus, se queremos ter uma sociedade justa e fraterna, precisamos nos alinhar ao propósito de Deus.  Assumir esse desafio: Família, Minha Prioridade.  Amem!
Refletindo....
"Pois o que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?" (Mc 8:36)
O Senhor Jesus que disse essas Palavras. Perder a alma em troca de ganancia das coisas do mundo, e a família, não é uma  sábia escolha. Cuidar da nossa alma e conduzir a família aos pés da cruz de Cristo deve ser a nossa prioridade. Ganhar o sucesso, fortunas e perder a família é a pior troca, o pior resultado, a pior escolha. O Salmo 128 declara que bem aventurado aquele que teme ao Senhor. Tem como resultado prosperidade e tudo vai bem em sua família.
Que o Senhor  nos capacite com sabedoria para fazer tudo o que precisamos sem nos desviar  do nosso principal alvo: Família-Minha Prioridade! Amem.
Por amor a Cristo!