sábado, 6 de maio de 2017

PAIS E FILHOS - CONSTRUINDO PONTES DE CONFIANÇA NOS RELACIONAMENTOS!

O tema de hoje é uma conversa franca compartilhando uma caminhada de quarenta anos de casados, numa aventura, de erros e acertos, na criação de três abençoados filhos. Pela bondade de Deus constituíram famílias e estão muito bem encaminhados na vida. Felizmente decidimos andar na contra mão da cultura do mundo, que ao invés de estimular pontes de relacionamentos entre pais e filhos, facilitou o divorcio e as separações, construindo muros de separação e muita desgraça. A nossa cultura é bíblica, lutamos para construção de  pontes onde as famílias transitam com liberdade sem perder os seus valores. Vamos construir quatro pilares de sustentação para relacionamentos saudáveis entre pais e filhos:

1º.  –  Relacionamentos  Baseado na Integridade.
“ Por isso, deixando a mentira,  fale cada um a verdade com o seu próximo,  porque somos  membros uns dos   outros” (Efésios 4:25).
A integridade é o primeiro pilar na construção de um sólido relacionamento entre pais e filhos. Quando a integridade é violada nasce no coração do filho/a a desconfiança.  Quando um dos pais  diz, ao filho/a: não conte isso para o seu pai ou para sua mãe,  sem se dar conta  está abrindo uma  brecha na formação do caráter do filho. A família vive um descrédito sem precedente, pela falta de integridade. A mentira tem sido uma arma poderosa de destruição nos relacionamentos entre pais e filhos. Os filhos, principalmente adolescentes, não toleram hipocrisia. 

2º.  -  Pais Doando  a Si Mesmos  em Lugar de Doar Coisas aos Filhos.
Os filhos querem os pais e não coisas. Como pais, por conta de agenda cheia no trabalho secular e nas atividades eclesiasticas, caímos nessa prática. Pela misericórdia de Deus, a tempo nos corrigimos. Na época, ouvimos um testemunho  que nos fez repensar o foco de nossos valores. Veja parte desse dramatico depoimento:
" O pai moderno, muitas vezes perplexo e angustiado, passa a vida inteira correndo como um louco em busca do futuro e esquecendo-se do agora. Nessa luta, renuncia o presente. Com orgulho, a cada ano, preenche sua declaração de bens para o Imposto de Rendas. Cada nova linha acrescida foi produto de muito trabalho..... Mas ele está sedimentando o futuro de sua família....Dos 18 anos de casado, passei 15 absorvido por muita tarefa, envolvido em várias ocupações....  Agora estou aqui com o resultado de tanto esforço: construí o futuro, penosamente, e não sei o que fazer com ele, depois da perda de Luíz Otávio e Priscila. De que vale tudo o que juntei, se esses filhos não estão mais aqui, para aproveitar isso com a gente? .... Eu trocaria - explodindo de felicidade - todas as linhas da declaração de bens por duas únicas que tive de retirar da relação de dependentes...." 
( trechos do depoimento  Hélio Fraga, Jornalista em Belo Horizonte, à época). 
Compartilhamos esse depoimento porque impactou nossa vida e nos levou a  uma reengenharia em nossas vidas profissionais e eclesiástica.

3º. -  Pais  Sendo  Modelos de Exemplos  Para os Filhos.
Como pais somos desafiados a sermos  exemplos dentro e fora do ambiente familiar. Normalmente nos comportamos diferentes em outros ambientes, igrejas reuniões sociais, entre amigos, etc,  e no ambiente familiar nos comportamos como somos de verdade. Os pais devem ser os melhores referenciais para os filhos. Uma área que mais negligenciamos está no uso  da autoridade, para, ensinar, repreender e corrigir. Precisamos entender que há dois modelos de autoridade em operação no mundo:
- O Modelo de Deus - Escolhas com Consequências.Significa preservar a identidade e corrigir o comportamento. Ex.  Se você fez a coisa certa tem valor; se você fez a coisa errada tem valor, sofrerá as consequências pela escolha feita.
- O Modelo do Mundo –  A aceitação baseado no Controle. Significa que o valor está no  resultado e não  na pessoa. Ex. Se você fizer a coisa certa você tem valor; se você fizer a coisa errada você não é aceito.

4º. -  Os Princípios de Deus  Ensinados no Contexto da Vida  e Não em Momentos Especiais.
Esse quarto  pilar  é muito especial porque trata de questões espirituais. As estatísticas demonstram que o papel da familia, em construir uma fé sólida nos filhos,  é fundamental. Muitos pais transferem essa responsabilidade à igreja. Não encontramos registros na Bíblia que isentam os pais dessa missão. O livro de Provérbios está repleto de reconendações aos pais. O mais importante,  incutir nos filhos os princípios da Palavra de Deus, que vão desde ensinar a criança os valores que devem nortear a vida  e  leva-los a uma experiencia pessoal com Cristo. Muitos filhos abandonam à fé  porque não veem, em seus pais,  coerência naquilo que ensinam e vivem.   

Refletindo:

A figura (esquerda) é uma ilustração de um pai segurando os dois lados da ponte. A lacuna que falta é um "RX" do que acontece quando um filho desintegra dos relacionamentos famíliares.A ruptura deixa lacunas que desestabilizam  toda a família. 
O filho quando se desintegra da família leva consigo parte da ponte, rompimento de  relacionamento (figura a direita). Famílias que vivem esse drama sabem o quanto é doloroso passar por isso. 
O Senhor Jesus Cristo bate à porta da família que passa por esse drama para restaurar os relacionamentos. " Ele fará com que o coração dos  pais se voltem para seus filhos, e o coração dos filhos para seus pais; do contrário, eu virei e castigarei a terra com maldição" ( Mal 4:6)
Reflita nas implicações dessa  palavra bíblica. É muito séria. Família desintegrada que não busca restauração, dos relacionamentos, colherá maldição. Todos precisam se cooperarem, mutuamente, nesse processo. Ou todos saem ganhando ou todos saem perdendo.
Por amor a Cristo!