domingo, 9 de abril de 2017

PÁSCOA CRISTÃ - UM PRINCÍPIO IRREVOGÁVEL!

A Páscoa Cristã é um dos acontecimentos mais importantes da humanidade. A Páscoa da inclusão dos povos. Diferentemente da Pásca Judaica, seletiva, que contemplou um povo específico. Ambas as Páscoas contém simbolismos espirituais extraordinários. A Páscoa Judaica celebra uma longa esravidão no Egito  para uma  conquista de uma terra prometida. A Páscoa Cristã celebra a votória sobre a morte eterna a uma conquista concreta de uma pátria celestial. Esta é a Páscoa que estamos celebrando e rememorando princípios que não podem se revogados pelo tempo:

1- O Princípio da Inclusão.
Vivemos um mundo marcado pela exclusão. A Vida e Evangelho do Senhor Jesus Cristo tem como mensagem central a inclusão dos povos. O mundo O rejeitou. Com Jesus aconteceu  o julgamento mais injusto da história da humanidade. Jesus enfrentou um sinédrio comprometido com a corrupção humana. "Disse-lhe Pilatos: Que farei, então, de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado!"( Mt. 22). Decidiram condenar Jesus, o Justo, o Santo, para absolver um corrúpto e assassino. Trocaram a glória de Jesus pelas práticas do pecado. Hoje o mundo colhe as consequencias dessa escolha. A Igreja do Senhor Jesus é a unica instituição que preserva o direito divino de promover a inclusão entre pessoas e povos. A prática inclui amar o pecador, incondicionalmente, aborrecer toda prática de pecado  

2- O Princípio da Compaixão.
A compaixão é a marca da Vida e do Evangelho de Jesus Cristo. Por tudo que Jesus passou, o amor suplantou. Sua mensagem de compaixão alcançou todos os seus julgadores algozes -  sua mensagem de perdão: "E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem..."Lucas 23:34). O princípio perdão conclusivo e extensivo a todo pecador. A compaixão de Jesus alcançou a todos nós. A prática do perdão é um dever a ser praticado pelo cristão com a mesma intensidade de compaixão praticado por Jesus. Precisamos  resgatar esse princípio tão negligenciado no Corpo de Cristo. Há cristãos que estão amargurados, com corações cheio de mágoas, abandonando a Igreja, porque não conseguem perdoar.

3- O Princípio da Salvação.
A salvação é um ato soberano da vontade de Deus. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigenito, para que todo aquele que nEle cre não pereça mais tenha a vida eterna"  (Joao 3:16). A Bíblia declara que todos pecaram e estão condenados à morte eterna ( Rm. 2:23). A salvação é um ato soberano da vontade de Jesus Cristo se apresentando como cordeiro para morrer no lugar do pecador. A Pascoa Cristã tem o seu ponto alto nesta entrega de sacrifício vivo, por nós, pecadores.  A sua morte nos trouxe salvação. "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entrre os homens, pelo qual devamos ser salvos" ( Atos 4:12).  Um texto biblico, conclusivo, que não dá margens para outras interpretações de intermediação da salvação. A Igreja Cristã se pregar outro Evangelho é anátema.

4- O princípio de Propriedade.
O princípio de propriedade é um direito de promessa de Deus. A Páscola dos Hebreus deixou para trás a escravidão - onde não havia nenhum direito de propriedade, para uma posse definitiva prometida por Deus. Deus cumpriu sua promessa: as doze tribos de Jacó tomaram posse da terra.
O princípio de propriedade da Páscoa Judaica tinha  como foco a prosperidade e o dominio sobre todos os povos; num modelo politico e economico governado por Deus. A quebra desse princípio, por alianças com povos pagãos, Deus enviaria maldições e pragas. Quebraram o princípio de propriedade, envolveram-se em relações comerciais e políticas com povos idólatras; perderam o direito de propriedade. Voltaram a escravidão!
A Páscoa  Cristã deixou para trás a escravidão do pecado que não dá direito à vida, para uma nova terra e um novo Céu, com Cristo. O princípio de propriedade da Páscoa Cristã,  não está relacionada a conquistas terrenas com expansão de domínio territorial. O direito de posse, será definitivo na nova Canaã Celestial. A prosperidade terrena é promessa para todos os filhos de Deus; para os Cristãos,  o seu fim, é para glorificar a Deus na expansão do Seu Reino, na terra. Muitos cristãos, prosperam mas quebram esse principio, fazem alianças com o sistema do mundo e perdem a visão da mordomia Cristã.  É um retorno à escravidão do pecado.

5-   O princípio da Renuncia e Entrega Total.
Seguramente é  um princípio mais importante da Páscoa Cristã. Se não preencher esse quesito não é uma Páscoa Cristã. O Senhor Jesus renunciou o seu direito, de Filho de Deus, para se tornar Filho do Homem. Submeteu a todos os riscos de nunca mais voltar a ser Deus Filho. Renuncia Total! Entrega Total, por uma Missão! Venceu todo tipo de pecado. Venceu todo tipo de tentação diretamente de Satanás. Venceu  todo tipo de rejeição. Venceu todo tipo de incompreensão. Por último, venceu o abandono, ficou absolutamente só; até mesmo  abandonado pelo próprio Pai.
Nosso Senhor Jesus Cristo, por princípio de renuncia e entrega total, requer, por direito de conquista não apenas uma parte de nós, mas por inteiro. Adquiriu, por direito de morte de Cruz a nossa santificação integral: espírito, alma e corpo. Um princípio de conquista que tem reinado triplo; por completo, na vida de quem Ele atraiu, para Si, na Cruz. A nova vida em Cristo, só terá sentido e  completa se houver renuncia e entrega total. Você vive essa prática Cristã na sua vida? Então, Feliz Páscoa Cristã!


Reflexão:

"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim"( Gálatas 2:20).

Inegável! Um dos gestos mais extraordinário que aconteceu nos últimos momentos de vida do Senhor Jesus - Simão, o  Cirineu,  se apresentando para ajudar Jesus levar a sua cruz. Um homem de pouca história mais que fez  o maior feito de amor, por Jesus Cristo, no momento em que todos O abandonaram. Os, Cirineus de hoje,  são os que carregam a Cruz, com Jesus. Tomam a cruz da lealdade, do comprometimento, da dor dos que sofrem exclusão, dos que são condenados por atos de injustiças. São os que fazem discípulos, a todos os povo e raças, que prosperam, mas são fiéis  mordomos do Reino de Jesus. Preciso confessar-me: estou em débito com o meu Jesus! Gostaria muito de expressar de todo o meu coração: Uma  Feliz Páscoa! Dizer: Sou um dos Cirineus. Se você está em débito, como eu, vamos nos render aos pés da cruz e nos apresentar nesta Pácoa Cristã? "Eis-me aqui, envia-me a mim". 

Por Amor ao Cristo Vivo!