sábado, 27 de maio de 2017

NOIVADO - A TRAJETÓRIA DE UM ROMANCE BEM SUCEDIDO!

Estamos refletindo neste més de maio temas sobre família. Vamos encerrar essa série de assuntos conversando sobre Noivado. O noivado é uma fase importante pré casamento. O casamento não se constrói de "um de repente", como afirma  a letra da música do pe Zezinho. O casamento não nasce pronto é contruído ao longo dos anos. A bíblia aponta pré requisitos para um casamento bem sucedido. A Bíblia é extraordinária em relatar com riquezas de detalhes a intimidade de seus principais personagens. O cap. 24 de Gênesis, um desses  tesouros, Narra a trajetória de um romance bem sucedido de Isaque e Rebeca. Nesse relato vamos encontrar requisitos importantes  para jovens cristãos que desejam um romance à maneira de Deus. Vamos destacar os principais componentes desse lindo romance:

1.   Noivado Conduzido Por Princípios.
..O Senhor, Deus dos Céus, que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela, e que me falou, e que me jurou, dizendo a tua semente darei a essa terra, ele enviará o seu Anjo adiante da tua face para que tomes mulher de lá para meu filho”  v.7

Princípios não devem ser confundidos com regras ou leis. Em tese, as regras e as leis dão garantia para a vida funcionar. Os princípios, são a garantia que a vida funcionará. As regras e as leis, para o casamento, são diferentes em cada cultura. Mas os princípios não devem mudar na sua estrutura original. Exemplo: o coração, os rins, os pulmões, mantém a mesma funcionalidade, para todos.  O relato bíblico (acima)  deixa-nos claro que  o pai Abraão se preocupou com o casamento do seu único filho Isaque. Tinha consciência que não poderia acontecer no contexto de uma cultura que não conhecia  o principio original do casamento. Os princípios  são legados que passam de geração à outra.

O texto acima  destacaremos  quatro princípios: 
  
1) O princípio da origem familiar - “o Senhor, Deus dos Céus, que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela....”. Abraão compreendeu que seu histórico familiar tinha origem em Deus. DNA que deveria ser preservado na sua geração.
 2) O princípio de ouvir Deus “... e que me falou.... Abraão vivia em intimidade com Deus e discernia  quando Deus lhe falava algo importante para executar. 
3)  O princípio da confiança em Deus “...e que me jurou...”.  Abraão, por inúmeras vezes, deu provas que confiava fielmente em Deus. Sua fé foi  provada e aprovada com louvor!
4) O princípio da bênção “...  a tua semente darei a essa terra...”. Abraão investiu nessa promessa.  A bênção é liberar para prosperar. O filho Isaque compreendeu, aceitou, confiou e obedeceu aplicar esses quatro princípios para o seu casamento. Se fosse, nos dias de hoje, diríamos que foi o casamento do século. Um casamento onde Isaque não precisou viver em bigamia  com outras mulheres. Um casamento onde Rebeca teve o primeiro e único amor de sua  vida. O divórcio jamais bateu a porta desse casamento.

2.  Noivado  Conduzido  Pela Concordância.
“... Andarão dois juntos, se não estiverem em acordo?” ( Amós 3:3)

Concordância é como o cimento que dá liga a massa. O romance, para ter grande chance de ser vitorioso, deve acontecer três tipos de concordância: 1) Concordar em ouvir e aceitar o  plano de Deus; 2) Concordar em lutar por um  projeto de vida familiar que segue os princípios da Palavra de Deus; 3)  A concordância e o apoio dos pais. 

3.    Noivado  Conduzido  pela Intuição Responsável.
“ E Isaque trouxe-a para a tenda de sua mãe, Sara e tomou a Rebeca, e
foi-lhe por mulher, e amou-a"( v.67).
A intuição é algo inexplicável que foge a qualquer lógica ou análise humana. Um pressentimento, uma percepção que algo está no ar. É uma linguagem que só o amor explica. Isaque e Rebeca  se amaram, amor a primeira vista. Não se trata de um amor irresponsável, leviano. Entenderam que havia uma presença sobrenatural abrindo o caminho e  estreitando as distâncias entre eles. Uma percepção de que Deus estava no negócio, valeria a pena correr alguns riscos calculados. A intuição responsável, confirmada pelos valores e princípios que cremos,  funciona para todos os romances.

4.  Noivado conduzido pela  confiança mútua e transparência.
“ Irás, porém, à casa de meu pai e à minha família e
 tomarás mulher  para o meu filho” ( v.38).
A confiança é um dos valores importantes que começa na fase do romance. E se fortalece no casamento à medida que as dificuldades se apresentam.. Seguramente um pilar que dá sustentação à longevidade do casamento e de  gerações. O pai, Abraão, pensou em gerações. Se seu filho se casasse com filhas cananeias todo projeto geracional estava comprometido. Os pais cristãos são visionários, pensam em gerações. Mas, caberão aos filhos, num voto de confiança mútua concordarem, espontaneamente, tomando parte desse grande projeto familiar. Infelizmente as estatísticas apontam a desconfiança como uma das causas do divórcio. Isaque e Rebeca se mantiveram fiéis até o final de seus dias. Não tiveram que lidar com divórcio. Os pais cristãos precisam viver uma vida de testemunho exemplar para que seus filhos não decepcionem com o casamento.

5.   Noivado Conduzido Pela  Direção de Deus.
“ O Senhor, em cuja presença tenho andado, enviará o seu Anjo contigo e prosperará o teu caminho, para que tomes mulher para meu filho da minha família e da casa de meu pai.” ( v. 40)
O Romance de Isaque e Rebeca teve um final de sucesso  porque Deus fez parte  do projeto.  O servo, Eliezer,  efetuou um plano e submeteu a Deus ( para entender -  leia os versos 42 a 48).  Um “cupido” que cada jovem cristão  gostaria de ter. Em todo romance sempre há uma ajudadinha de uma pessoa que deseja o sucesso do outro. O perigo é que aparece muita ajuda de pessoas descomprometidas com Deus. Pessoas que não são felizes em seus romances e  querem palpitar na vida do outro. Pessoas que já experimentaram divórcios, acha normal separar por qualquer motivo. Pessoas que são adeptas  à cultura do mundo. Teríamos um outro perfil de família no mundo se o exemplo do romance de Isaque e de Rebeca fosse imitado pelos jovens cristãos.

REFLETINDO:
Como diferenciar  Corte de  Namoro? Como pais aprendemos essa diferença após anos de casados. Participamos do curso Romance a Maneira de Deus, ministrado pela Universidade da Família, aplicamos com a nossa filha. Funcionou! Para os pais cristãos com filhos na faixa de adolescentes e jovens, que desejam conhecer e aplicar em sua família, esse modelo, entre em contato no site udf.org.br.  Uma mudança de paradigma. 
O modelo de namoro que nossos jovens cristãos estão praticando não faz diferença do modelo do mundo. As estatísticas de divórcios afirmam isso. Os índices  assemelham-se  dos casamentos cristãos e não cristãos. Não é preocupante? Como pais cristãos desejamos que nossos filhos tenham uma trajetória de romance bem sucedidos.  Aqui está uma receita que dá certo. Se você concorda, compartilhe!
Por amor a Cristo!